Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Codeca aponta que mais de 90% dos contêineres vandalizados em 2019 foram por causa de queimas

Baixar Áudio por Clayton Camargo

Levantamento mostra que a maioria dos sinistros é ocasionada por usuários de drogas

Foto: Codeca/Divulgação

A Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) contabilizou que 108 contêineres de lixo foram vandalizados em 2019. Os dados apontam que 99% dos registros foram por fogo e que o prejuízo para a empresa chegou a aproximadamente R$ 134 mil apenas com o material, sem contar a mão de obra. Em relação ao ano anterior houve uma diminuição, quando ocorreram 114 casos.

O diretor administrativo-financeiro da Codeca, Luis Felipe Burtet, aponta que, do total, 105 foram contêineres amarelos de coleta seletiva e quatro verdes destinados para a orgânica. Ele explica que a diferença é grande, pois o seletivo é composto por material plástico, o que propaga mais o fogo, e o orgânico é revestido por uma estrutura metálica.

“A diferença desses números se dá justamente pelo material. O contêiner verde é metálico, enquanto o amarelo é derivado do plástico. Por conta disso, há essa tendência maior de destruição pelo fogo.”

Para este ano, a companhia efetuou uma análise a fim de entender o motivo do número de contêineres queimados. O estudo apresentou que os incidentes ocorrem mais nos finais de semana e por responsabilidade de usuários de drogas. Segundo Burtet, eles utilizam o equipamento como esconderijo para o uso dos tóxicos e para fugir do frio. A maioria dos sinistros é ocasionada por quem consome pedras de Crack.

“Geralmente essas queimas são causadas por usuário de drogas que utilizam o equipamento para se esconder do vento e para a utilização de drogas. Com a análise foi obtida essa informação, justamente que o inicio dos incêndios se originavam pelo uso de entorpecentes. Os dados apontam que, principalmente, vindo das queimas das pedras de Crack.”

Estima-se que o contêiner verde e o amarelo devem custar R$ 6.050 para a companhia. O lixo orgânico corresponde a 80% do valor, uma vez que o material é tido como mais caro. Para não onerar mais os cofres da empresa, além do levantamento, se planeja outras ações. A Codeca criou um departamento com o intuito de fabricar um material com liga plástica mais resistente para o equipamento do seletivo. Burtet afirma que usará o mapeamento de vandalismo para intensificar as fiscalizações nos arredores com mais incidentes. Nas próximas semanas, está planejada uma reunião junto aos órgãos policiais da cidade para tratar do tema.

“Fizemos esse levantamento e, inclusive, estamos colocando em funcionamento um departamento neste início de 2020 para desenvolvimento interno de tecnologia. O setor servirá para, justamente, gerar uma liga plástica mais resiste a fim de evitar esse tipo de vandalismo. E junto com esse mapeamento, queremos intensificar a fiscalização nesses dias e horários mais propícios junto às autoridades públicas de Caxias.”

Caso verifique algum contêiner danificado e que necessite de conserto, entre em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão, pelo site codeca.com. br, ou pelo telefone 3224.8000, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. 

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais