Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Vendas na Páscoa crescem 17,8% em Caxias depois de dois anos de estagnação

por Pablo Ribeiro

Tíquete médio alcançou R$ 152,25

Foto: Julio Soares/CDL Caxias/Divulgação

Após dois anos de estagnação, e, em muitos casos, até mesmo de retração nos negócios por conta do fechamento do comércio no período que antecedeu a Páscoa em 2020 e 2021, o varejo caxiense voltou a ter incremento nas comercializações, como antecipou a pesquisa prévia de intenção de compras da CDL Caxias do Sul.

Segundo nova amostragem do Núcleo de Informações da entidade, as vendas para a data expandiram 17,8% neste ano, e o tíquete médio por consumidor ficou em R$ 152,25. Para 41,2% dos empresários entrevistados, o desempenho foi muito melhor, para 29,4% foi melhor, para 5,9% foi igual e para 23,5% foi pior. O levantamento foi realizado entre os dias 18 e 22 de abril, com supermercados, lojas de doces, de roupas infantis e de brinquedos.

De acordo com os participantes, entre os motivos para o resultado positivo estão a redução dos impactos da pandemia (33,3%) e a ida dos consumidores às lojas (26,7%), que ajudou a aumentar as vendas. Já para aqueles que tiveram um desempenho igual ou pior que no ano anterior, a alta nos preços e a inflação (41,2%) foi apontada como o principal fator, seguido pela escolha dos clientes por produtos de menor valor (23,5%).

O coordenador de Tecnologia, Informação e Inovação da CDL Caxias, Cleber Figueredo, conta que 77,80% dos entrevistados afirmaram que também venderam pelos meios digitais, sendo o WhatsApp (55,2%), o Instagram (27,6%) e o Facebook (10,3%) os canais mais utilizados. Quase metade dos participantes disseram ainda que fizeram anúncio para divulgar os produtos através das redes sociais.

Chocolates são os mais procurados       

Como era de se esperar, os chocolates seguem como as estrelas da Páscoa. Entre os produtos mais vendidos, os ovos lideraram o ranking, com 48,3% das escolhas. A lista é composta ainda por bombons (17,8%), cestas (16,3%) e barras de chocolate (10,5%).

A amostragem identificou ainda que alguns clientes que optaram por chocolates mais em conta complementaram o presente com roupas ou brinquedos, especialmente itens que remetiam a temática da data.

De acordo com os lojistas entrevistados, o maior movimento para aquisição de produtos para a Páscoa se concentrou na semana que antecedeu a data, com 42,9% da preferência, seguido dos dias próximos ou do próprio dia, com 33,3% das escolhas. Quase 24% adquiriram os itens duas semanas antes e 14,3% um mês antes. Entre as principais formas de pagamentos foram apontados o dinheiro (51,4%) e o cartão de crédito (28,6%) como os mais utilizados.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais