Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
18:00:00
Encontro Certo
19:00:00
 
 

Indústria lidera recuperação econômica de Caxias do Sul em junho, mas semestre fecha negativo

por Daniel Lucas Rodrigues

Indicadores mostram que a geração de empregos segue baixa pelo quarto mês consecutivo na cidade

Foto: Isac Nóbrega/PR

Caxias do Sul apresenta recuperação no desempenho econômico em 2020. A cidade registrou um aumento de 11,3% nos números da economia no mês de junho, com os setores principais mostrando saldo positivo. Os indicadores foram apresentados nesta terça-feira (18/08) pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) do município, por videoconferência.

A Indústria puxou os indicativos, com 13,9%, seguido pela categoria de Serviços, que teve uma alta de 12,2%. O Comércio desempenhou abaixo dos outros, mas registrou um acréscimo de 1,7%. Segundo o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Astor Schmitt, a estabilização econômica e a reabertura dos estabelecimentos comerciais foram essenciais para a retomada em junho. Porém, ele atribui outros dois fatores que impactaram nos números, o Auxílio Emergencial para famílias mais carentes e o desempenho positivo do agronegócio brasileiro, que reflete nas indústrias gaúchas.

Mesmo com a melhora em relação ao mês anterior, as áreas possuem números negativos em outros três indicadores: no mesmo mês do ano anterior (-13,6%), no acumulado do ano (-12,2) e no acumulado nos últimos 12 meses (-4,7). O segundo indicador mostra que o semestre terminou com queda. Além da pandemia da covid-19, Schmitt acredita que a diminuição na oferta de empregos ao longo dos anos e a falta de competitividade do que é feito na cidade, decorrente de altas cargas tributárias, também explicam a situação nos primeiros seis meses de 2020.

Sobre o desempenho no mercado de trabalho, Caxias do Sul continua com saldo negativo. Pelo quarto mês consecutivo a cidade apresentou baixa na geração de empregos formais, com um fechamento de 607 vagas de trabalho, devido à demissão de 3,5 mil pessoas contra as 2,9 mil contratações durante o mês. Schmitt observa que apenas o crescimento na economia brasileira vai reverter a situação do emprego no município.

Dos setores que mais apresentaram indicadores negativos, o Serviços, junto com a Agropecuária, liderou o ranking com o encerramento de 288 postos de trabalho. A Indústria vem logo atrás, com uma baixa de 281 vagas formais, e o Comércio conclui com o fechamento de 38 vínculos empregatícios.

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais