Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Hoje é o Dia Mundial do Rim

por Ana Lúcia Jacomini

Saiba quais são as principais doenças que afetam a função renal

A função do rim é filtrar as substâncias em excesso e os produtos residuais do metabolismo
Foto: Divulgação/HCR

Esta quinta-feira, 11/03, é comemorado o Dia Mundial do Rim. Por iniciativa da Sociedade Brasileira de Nefrologia, o tema desta edição é “Vivendo bem com a doença renal”. O objetivo é conscientizar e orientar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas, para que possa participar, de forma mais efetiva, na rotina da vida cotidiana. Acompanhe o que diz o profissional médico Urologista que atende no HCR, Rodrigo Balotin: 

“Os rins estão localizados no espaço retroperitoneal da parede abdominal posterior, cada um do lado da coluna vertebral, na altura da 12a vértebra torácica à terceira vértebra lombar, sendo o rim direito mais inferior. A função do rim é filtrar as substâncias em excesso e os produtos residuais do metabolismo, contribuindo para a manutenção da homeostase.

Neoplasia renal, cistos renais, cálculos renais e infecção renal são as principais patologias tratadas pelo urologista.  Litíase renal é uma doença frequente que acomete mais homens que mulheres e pode estar localizada nos rins, ureter, bexiga e uretra. A recorrência da litíase renal é comum e aproximadamente 50% dos pacientes apresentarão um segundo episódio de litíase, após 5 a 10 anos do primeiro, se não forem submetidos a nenhum tipo de tratamento. Aproximadamente 75 a 80% dos pacientes com urolitíase apresentam cálculos de cálcio, sendo que a maioria destes são compostos primariamente de oxalato de cálcio e com menor frequência de fosfato de cálcio. Os outros tipos principais incluem cálculos de ácido úrico, estruvita e cistina 

O melhor método diagnóstico para o cálculo renal e ureteral é a tomografia de abdômen e pelve sem contraste. A tomografia fornece dados fundamentais para a escolha do tratamento: tamanho do cálculo, localização, presença de hidronefrose associada, densidade do cálculo. Os tratamentos para cálculos renais são: Ureterorrenolitotripsia laser, litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LITO) e nefrolitotripsia percutânea (NLP). Os cistos renais simples são as massas renais mais comuns. São mais frequentes em homens, e em pessoas com mais de 50 anos.

Os cistos renais simples são considerados benignos, não sendo necessário nenhum seguimento ou exame complementar para afastar neoplasia. São frequentemente observados em rins normais, únicos, múltiplos e bilaterais. A tomografia com contraste deve ser utilizada em qualquer lesão cística que não preencha os critérios ultrassonográficos de cisto simples. O câncer de rim é o terceiro mais frequente do aparelho genitourinário e representa aproximadamente 3% das doenças malignas do adulto. O mais frequente é o câncer renal de células claras, sendo responsável por 85% dos tumores diagnosticados.

O câncer de rim geralmente acomete indivíduos entre os 50 e 70 anos de idade, sendo duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres. Aproximadamente 54% dos tumores renais diagnosticados hoje estão confinados ao rim, 20% são localmente avançados e 25% já apresentam metástases da doença, principalmente para os pulmões, fígado e ossos. De 6% a 10% dos pacientes apresentam dor em flanco, sangue na urina e massa abdominal palpável. No entanto, a forma mais frequente de diagnóstico são os achados incidentais em exames de rotina como a ultrassonografia do abdômen. A cirurgia é o único tratamento curativo definitivo para o câncer de rim”.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais