Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

1ª DECOR desencadeia a Operação Assepsia

por Marco Aurélio Santana

Esquema de comercialização de álcool em gel falsificado está sendo investigado. Mandados de busca e apreensão e prisão foram cumpridos em Guaporé, Casca, Paraí e Passo Fundo.

12 policiais civis, em cinco viaturas, da Polícia Civil (PC), por meio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) – 1ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção (1ª DECOR), coordenados pelo delegado Max Otto Ritter, desencadearam na quarta-feira, dia 3 de junho, a Operação Assepsia. O objetivo era desarticular um esquema criminoso que comercializou álcool em gel falsificado em Casca e Paraí. A investigação na área da saúde é a segunda da 1ª DECOR na região. A primeira, chamada de Anticorpo, descobriu a venda de vacinas tetravalente (contra a gripe) provavelmente falsificadas.
Três mandados de busca e apreensão (MBA) e mais três de prisões preventivas foram cumpridos nos municípios de Guaporé, Casca, Paraí e Passo Fundo. Um enfermeiro, servidor da Secretaria Municipal de Casca, é suspeito de operar o esquema criminoso que praticou estelionato contra o Poder Público, de Casca, e de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais do Hospital Beneficente Nossa Senhora Aparecida, de Paraí, e da própria Administração Municipal de Casca. Além dele, dois homens já investigados pela venda de vacinas falsas foram presos preventivamente.
A investigação, decorrente da Operação Anticorpo, começou no mês de maio. Os policiais da 1ª DECOR obtiveram provas evidenciando que alguns dos investigados teriam agido em conjunto com o servido público da Secretaria de Saúde, de Casca, e um enfermeiro do Hospital de Paraí, na comercialização de álcool em gel possivelmente falsificado. Representantes das duas empresas que fabricam o produto, situadas no Rio Grande do Sul e São Paulo, foram ouvidos no inquérito policial e afirmaram que os frascos negociados não eram condizentes com os que produzem. O álcool em gel, afirmaram aos policiais civis, possivelmente é falsificado.
As ações cumpridas na Operação Assepsia visaram a prisão preventiva dos apontados como responsáveis pela comercialização e distribuição para consumo dos frascos de álcool em geral, bem como a apreensão de documentos imprescindíveis para as investigações.

Fonte: Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Veranense

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais