Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Com renovação de convênio, até 50 apenados, entre homens e mulheres, poderão trabalhar na Codeca

por Isadora Helena Martins

A cooperação entre a Prefeitura de Caxias do Sul e os órgãos do sistema penitenciário gaúcho foi assinada na última semana

Foto: Divulgação / Fabiana de Lucena

O convênio entre a Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado (Seapen) e a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), para a utilização de mão de obra de apenados na autarquia foi renovado na última semana.

Além de possibilitar a contratação de pessoas presas no Instituto Penal de Monitoramento Eletrônico da 7ª Região e no Instituto Penal de Caxias do Sul e que estão cumprindo regime semiaberto ou aberto, a cooperação teve ampliação significativa. O novo convênio prevê a possibilidade de contratação de até 50 detentos – atualmente 16 pessoas participam do programa. Outra mudança foi a ampliação dos setores aonde essas pessoas poderão trabalhar.  

“Conforme ter em mente a possibilidade de recuperação de apenados é uma coisa que vai fazer muito bem para a sociedade em geral. O trabalho na vida de todas as pessoas é um pilar estruturante e a gente vê que o trabalho é pra eles também uma chance de se recuperarem. Se eles não tiverem essa oportunidade a tendência é voltar a reincidir no crime”, afirmou a vice-prefeita Paula Ioris, em entrevista à Tua Rádio São Francisco.       

Outro diferencial do novo acordo estabelecido é a inclusão da mão de obra feminina e na possibilidade de que outras atividades sejam agregadas ao convênio para que ocorra efetiva reinserção profissional depois de cumprida a pena. A atividade garante ao trabalhador 75% do salário-mínimo regional, assim como vale-transporte, com carga horária de seis horas diárias, em duas equipes, uma pela manhã, outra à tarde.

O titular da Seapen, Mauro Hauschild, salientou a abrangência e os benefícios do trabalho prisional. “O trabalho já é uma ação bastante consistente no sistema prisional gaúcho. Outros municípios podem nos procurar porque nós temos todo o interesse de desenvolver essa atividade. E o trabalho prisional é também uma ótima oportunidade para empresas”, salientou.  

Hauschild também destacou durante a entrevista que existe uma expectativa de que o projeto de lei referente a Secretaria da Justiça e dos Sistemas Penal e Socioeducativo seja votado nas próximas semanas, na Assembleia Legislativa.  Ouça AQUI.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais