Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Região de Caxias do Sul retorna para a bandeira vermelha no mapa preliminar do Distanciamento Controlado

por Isadora Helena Martins

Classificação foi divulgada nesta sexta-feira pelo Governo do Estado. Municípios podem recorrer e decisão definitiva sairá na segunda-feira (29).

Foto: Divulgação/ Governo do RS

A Serra Gaúcha voltou a ser enquadrada na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado, que é o sistema criado pelo Governo do Estado para controlar o avanço do coronavírus. A atualização foi divulgada no final da tarde desta sexta-feira (26) e mostra que nove regiões do Rio Grande do Sul estão na bandeira vermelha, o que significa risco alto para contaminação pela doença. Somente as regiões de Taquara e Bagé se encontram em bandeira amarela (risco baixo). As regiões de Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Pelotas, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado estão em bandeira laranja (risco médio).

Conforme dados do Governo do Estado, a região de Caxias do Sul teve uma piora nos indicadores, uma semana após estar na classificação do risco moderado. A situação da região foi agravada por dois indicadores: o de Incidência de Novos Casos sobre a População e pela Mudança da Capacidade de Atendimento da macrorregião. O indicador de Capacidade de Atendimento mensurada pelo Estado como um todo também interferiu na classificação, pois incide sobre todas as regiões.

O indicador de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete dias reduziu 14% entre as duas semanas, passando de 88 na semana anterior para 76 na atual. Porém, mesmo que o avanço da doença tenha reduzido na velocidade, o número de internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave em UTI (de 50 para 62), o número de internados em leitos clínicos Covid (de 51 para 57) e de internados em leitos de UTI Covid (de 38 para 40) cresceram.

Os indicadores de incidência de novos casos sobre a população, como “hospitalizações confirmadas para Covid-19 em relação à população” e “Projeção de óbitos em relação à população” mantiveram maior risco, ambos na bandeira preta devido à elevação na projeção de óbitos.   

O indicador de leitos de UTI livres dividido pelos leitos de UTI ocupados por pacientes Covid-19 também permaneceu na bandeira vermelha com 1,88 leito de UTI adulto livre para cada leito de UTI adulto ocupado por Covid. Por fim, o indicador da Mudança da Capacidade de Atendimento também se agravou, passando de bandeira amarela para laranja, devido à redução de 12% (85 para 75) no número de leitos de UTI livres no último dia para atender Covid.    

Conforme as novas regras, os municípios podem contestar os dados até às 8h de domingo. O Gabinete de Crise do governo estadual fará uma nova análise dos dados e dará uma decisão definitiva referente às bandeiras na segunda-feira (29) à tarde. As bandeiras definitivas passam a valer a partir de terça-feira (30/6).

O prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina, afirmou que a Região vai contestar os dados por meio da Amesne. “Evidente que essa informação não nos deixa satisfeitos até porque verificamos os dados novamente e encontramos várias inconsistências. Então vamos fazer um recálculo através do observatório que foi criado pela Região e vamos fazer o recurso através da Amesne que é nosso representante”, afirmou.   

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais