Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
 
 

Soledade: acusado de latrocínio de Ivânio foi preso um mês antes e ficou no presídio apenas três dias

Baixar Áudio por Nayam Franco

Naquela oportunidade, o Ministério Público teve pedido de prisão negado pelo Poder Judiciário

Foto: Arquivo/Tua Rádio Cristal

A brutalidade do latrocínio registrado em Soledade no fim de semana que vitimou Ivânio Bernardes Ortiz, 52 anos, ainda é vista com muito espanto pela comunidade soledadense. Moradores seguem até hoje surpresos com a forma como o crime ocorreu e com a crueldade dos criminosos ao amarrarem e esfaquearem a vítima após a terem roubado.

Um fato que veio à tona nesta semana choca ainda mais. Um dos acusados de ter cometido o crime e que confessou a autoria do latrocínio tinha longa passagem pela polícia e havia sido preso um mês antes de cometer este crime.

Conforme o promotor de Justiça, Bill Jerônimo Scherer, o Ministério Público não polemiza acerca das decisões judiciais, no entanto, neste caso específico, um dos apontados autores deste bárbaro latrocínio havia sido preso um mês antes do crime e ficado apenas três dias preso.

“Ele havia sido preso há trinta dias antes do fato e foi solto dois ou três dias depois, contra o posicionamento do Ministério Público, que à época solicitou a prisão preventiva, pois ele havia sido preso em flagrante pela prática de crime de roubo com uso de arma”, contou Scherer.

No dia 4 de agosto, um mês e dois dias antes do latrocínio, a Brigada Militar de Soledade prendeu em flagrante um homem de 29 anos e um menor de idade por terem roubado celulares no bairro Expedicionário.

O homem é o mesmo que confessou o crime de latrocínio contra Ivânio na sexta e preso no domingo. Os criminosos roubaram celulares de duas mulheres que passavam próximo a Igreja Sagrada Família.

Após a prisão as vítimas reconheceram os dois criminosos, sendo o maior foi encaminhado para o Presídio Estadual de Soledade, ainda no domingo dia 4, e o menor foi liberado. Na quarta-feira, 07/08, I.G.P teve a prisão substituída por medidas cautelares, descumpridas por ele no cometimento do bárbaro crime contra Ivânio.

O promotor salienta que o primeiro latrocínio do ano é um fato a ser lamentado e que a região de Soledade está na contramão dos demais locais, seja estado ou país, com diminuição de criminalidade.

“Um latrocínio traz intranquilidade a todos, mas é bom lembrar que todos estão fazendo seu papel para garantir a população um pouco mais de segurança e de pleno exercício de cidadania”, lembrou o promotor.

O Ministério Público aguarda o inquérito policial que ainda tramita a respeito do caso. O MP solicitou um pedido de prisão preventiva para ambos os envolvidos, acatado pelo Poder Judiciário de Soledade nesta terça.

“Conforme a Polícia, a vítima foi atingida com uma paulada na cabeça pelas costas, sem chances de defesa e que depois, amarrada, teria sido esfaqueada e isto, sim, é evidente sinal de crueldade”, finalizou.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Cristal

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais