Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Gestores municipais reiniciam tratativas para instalação de usina de reciclagem

por Eduardo Cover Godinho

Diretor Brasil da empresa Eco Recy-Welt Brasil SL, Orlei Soares, explicou novamente o projeto inovador e pioneiro que será bancado pela Ecohispânica.

Orlei Soares salientou que municípios não investiriam nenhum centavo a mais do que já gastam com a destinação do lixo

O tão sonhado e debatido projeto de instalação de uma usina de reciclagem de resíduos sólidos, diferente das convencionais em Guaporé, voltou à tona na sexta-feira, dia 3 de março. Gestores e representantes do Meio Ambiente de 14 municípios das regiões da Serra, Planalto e Vale do Taquari estiveram reunidos na Casa da Cultura para conhecer o inovador e pioneiro projeto que transforma todo o lixo (seco ou orgânico) em biomassa e em condições ser reutilizado. Todo o processo é efetuado com a utilização de equipamentos (autoclaves) que elevam a pressão e a temperatura, esterilizando os resíduos, sem poluir o meio ambiente. A apresentação foi realizada pelo Diretor Brasil da Eco Recy-Welt Brasil SL, Orlei Soares, que representa a empresa espanhola Ecohispânica no país.

“Recebi com surpresa o convite para retornar para Guaporé e reativar o projeto de instalação da usina de reciclagem que o ex-prefeito Paulo Mazutti foi até a Espanha buscar. Sei que a semente plantada no governo anterior começa a dar frutos para que consigamos realizar o objetivo de construir a usina em Guaporé. O prefeito Valdir Fabris entendeu o projeto, correu atrás e tomou a iniciativa de convidar os gestores municipais para que conheçam a proposta inovadora e pioneira que colabora com o meio ambiente das cidades. Estou feliz e consciente que vamos avançar na ideia, pois criamos metas e datas junto com os prefeitos durante a reunião”, disse Orlei Soares.

Os espanhóis, que contam com uma unidade em funcionamento na cidade de Rivas Vaciamadrid – próxima a capital Madrid, investirão, se o projeto sair do papel e for de interesse dos municípios, o valor de € 18 milhões, ou seja, cerca de R$ 70 milhões podendo chegar a R$ 90 milhões para a construção da unidade de reciclagem. A área de 30 mil m2 para a edificação seria cedida pelo Poder Público de Guaporé, sendo que a parte física (usina) construída ficaria em 1.800 mil m2. Cabe ao consórcio de municípios a destinação de no mínimo 120 toneladas/dia de resíduos pelo período de 240 meses (20 anos) para que o investimento da Ecohispânica possa ser viável. Após, segundo Orlei Soares, toda a estrutura e o controle da operação ficariam nas mãos do consórcio.

“A empresa conta com a melhor tecnologia de reciclagem de resíduos sólidos utilizada no mundo. Ela não é um projeto de papel, ela existe na Espanha, sendo visitada por autoridades da região – inclusive o ex-prefeito Mazutti, e há outras unidades em construção no mundo como em Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile) e nos Estados Unidos. O lixo, capacidade de cinco toneladas por hora, é ‘cozido’ dentro da autoclave e 20 minutos após ele não existe mais. O reciclado (vidro, ferro, plástico, entre outros) sai para um lado e o orgânico (biomassa) vai para outro podendo ser utilizado para adubo orgânico ou geração de energia. Tudo esterilizado e livre de patogêneses – agentes contaminantes. O projeto é lindo, inovador e os municípios não irão investir nenhum centavo para a construção”, salientou.

Orlei Soares afirmou que a empresa Ecohispânica exige apenas dos Poderes Público o cumprimento do contrato e pagamento para destinação dos resíduos.

“Os municípios já pagam para jogar o lixo na natureza e nós não queremos onerar ainda mais os cofres públicos. Não vamos estabelecer regras que façam com que os municípios tenham maiores gastos. Muito pelo contrário. Oferecemos uma porcentagem do lucro da empresa de devolução as administrações municipais em obras sociais voltadas ao meio ambiente”.

O prefeito Fabris, que conheceu o projeto há poucos dias, afirma que a retomada das negociações para a instalação da usina de reciclagem é extremamente importante. O Chefe do Executivo salienta que a destinação do lixo de forma correta, sem que haja prejuízos ao meio ambiente, é uma das preocupações mundiais.

“Estamos dando prosseguimento às tratativas iniciadas na gestão passada. Achamos interessante e importante o que estava sendo proposto para Guaporé e região. O projeto, muito viável a meu ver, possui tecnologia de ponta, e além de produzir material reciclável, também transforma o lixo orgânico em biomassa, e a biomassa em adubo orgânico, sem poluir o meio ambiente. Atualmente os resíduos produzidos em Guaporé são encaminhados para um aterro e nós (gestores) continuamos co-responsáveis pelo depósito. Isso também é um problema que tiraríamos do comprometimento do Poder Público e uma grande vantagem, pois é um sistema limpo e que não gera poluentes. Sem contar que não gastaríamos nada a mais do que estamos desprendendo do caixa municipal nos dias atuais”, disse.

O Poder Público de Guaporé será encarregado de confirmar quais municípios da região que teriam interesse no projeto, para dar sequência aos trabalhos. A confirmação deve ser dada em no máximo 30 dias.

Central de Conteúdo Unidade Rede Scalabriniana

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais