Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Venda da área do campo do Juventude é tema de debate em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Vereador Valter Mann (PT) sugere Consulta Popular. Prefeito Valdir Fabris (PDT) afirma que Governo Municipal estuda diversas propostas

Campo do Juventude
Foto: Elaine Pitrez

Destruído em parte da sua estrutura física, o Estádio General Ernesto Dorneles (Campo do Juventude ou Estádio da Baixada), é centro de um grande debate na comunidade de Guaporé após o registro de mais uma enxurrada provocada pelo transbordo do Arroio Barracão. A praça esportiva está localizada na área central e há tempos é alvo de discussões quanto a sua posição geográfica, considerada valorizada no mercado imobiliário, e sua importância para o desenvolvimento de atividades de futebol, já que é utilizada para a realização do Campeonato Municipal (duração de três meses), aulas da Escolinha (cerca de 100 crianças participam da oficina) e algumas partidas amistosas de equipes guaporenses.

Com a falta de campos de futebol na cidade, há pouquíssimos e os que estão à disposição carecem de uma melhor infraestrutura – fora o antigo Estádio Albino Pasquali (sob comodato do Sesi até 2024), a única saída momentânea para o Poder Público seria o conserto da estrutura danificada com o transbordo do Arroio Barracão. Sabendo que o investimento será alto e o município dispõe de poucos recursos em seu caixa, o vereador Valter Mann (PT) propôs, durante sessão ordinária do Poder Legislativo, que o Executivo, ou a própria Casa Legislativa, realize uma Consulta Popular para a coleta de opiniões da comunidade sobre uma possível venda ou não do Estádio.

“Propus que houvesse um debate sobre o campo do Juventude. Acredito que a área, que mais uma vez foi danificada pela enchente do Arroio Barracão, possa ser vendida e o dinheiro investido na infraestrutura de outra praça esportiva e no próprio leito do arroio para que se evite outros alagamentos. É uma sugestão e eu gostaria de saber a opinião dos guaporenses”, disse.

Mann, que há anos representa o povo no parlamento de Guaporé, apresentou alternativas para que não ocorram mais tragédias como as registradas em 1994 e 2017 ao longo das margens do Arroio Barracão.

“Não podemos fechar os olhos para o que aconteceu. O campo do Juventude também foi um dos fatores determinantes para o alagamento. Se é para mantê-lo, temos que colocar uma cerca de grades de ferro ao redor. Não fechá-lo com telas e nem com muros como é atualmente. Precisamos dar vazão a água caso venha ocorrer novamente o transbordo. Para a prática do esporte, caso seja vontade da população em vender a área do Juventude, temos o Complexo do Sesi, que é da Prefeitura e está cedido em comodato. Podemos pensar em outras áreas para a construção de campos, mas precisamos urgentemente ouvir a comunidade”, explicou Mann.

 

Poder Público

O prefeito Valdir Fabris salientou que até que não houver outra área para a prática do futebol, não há como vender o Estádio General Ernesto Dorneles.

“Infelizmente aconteceu e todos acham que o problema tem que ser resolvido logo. Temos que ter a cabeça no lugar e planejar, com os recursos que possuímos, melhorias para o campo do Juventude. Nós não temos como vender se não temos outra área para oferecer aos guaporenses. Sabemos que não existem campos de futebol na cidade. Essa é uma reivindicação dos desportistas”.

O chefe do Executivo disse que há inúmeras negociações em andamento para que essa demanda seja resolvida, inclusive com a possibilidade do Poder Executivo retomar o controle do antigo Estádio Municipal Albino Pasquali.

“Estamos negociando para a construção de um campo de futebol na área do Caça e Pesca e agora nos surgiu outra possibilidade. Temos um contrato com o Sesi (comodato até 2024) e estamos avaliando a retomada do controle do Estádio Municipal Albino Pasquali, entregando a área onde está sendo edificado o ginásio Municipal Multiuso. O Sesi receberia todo o terreno, inclusive com as benfeitorias (prédio e a cancha de esportes), para o uso em suas atividades administrativas, educacionais e esportivas. Receberíamos o prédio sede do Sesi na área central com a possibilidade de vendê-lo e usar para acomodações de secretarias ou departamentos do Governo. É uma negociação que está aberta e estamos estudando a proposta”, destacou Fabris.

Não há informações se a Consulta Popular, sugerida pelo vereador Mann, será realizada. A expectativa é que a Câmara de Vereadores efetue, no Plenário Roberto Baldasso, uma discussão com a possibilidade de venda ou a manutenção do campo do Juventude.

O que já foi decidido é que provisoriamente será colocada uma tela no lugar do muro, haverá uma reforma emergencial e o Campeonato Municipal, agendado para os meses de setembro, outubro e novembro, está garantido.

Central de Conteúdo Unidade Rede Scalabriniana

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais