Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
20:00:00
Tua Essência
23:59:00
 
 

Presos fabricam casas e roupas para cães abandonados – Rádio Sarandi

por José Leal de Oliveira

Projeto é desenvolvido no presídio de Sarandi

Com o objetivo de integrar os internos do Presídio Estadual de Sarandi com a comunidade sarandiense e ainda colaborar com a Asapa, Associação Sarandiense dos Amigos e Protetores dos Animais e com a Upa, Unidas Pelos Animais, foi criado um programa no qual detentos fabricam casas, camas, luvas e roupas para cães abandonados sob os cuidados destas entidades.

Lovaine Conteratto, administradora do presídio, explica que “sempre tem animais ao redor do presídio para se alimentar” e acrescenta que isso a sensibilizou com a necessidade de acolher o ser humano e também aos animais. “Também acolher o preso que precisa de uma ocupação, muitos não tem oportunidade na rua” disse.

Ela explica que os presos que participam do projeto têm remissão da pena a cada três dias trabalhados: "É bom por que a gente ocupa a cabeça”, disse Lovaine citando frase dita pelos detentos.
Atualmente, dois detentos estão fabricando as casas para os cães no pátio do presídio, e duas detentas fabricam as camas e roupas nas celas, obedecendo as normas de segurança, de acordo com Lovaine.

Elaine Rosa, Assistente Social do presídio, disse que seu trabalho é de acolhimento e escuta, atendendo demandas em saúde, benefícios, educação e atendendo os familiares.  “O trabalho vem suprir essa necessidade de superação e ser útil, sentimento de pertencer” disse.

Dalva de Quadros, presidente da Asapa, relata que atualmente, mais de 60 animais estão sob os cuidados da entidade, que está sem recursos financeiros e em débito com o Cesurg onde são tratados os animais feridos. “Esse projeto vai ajudar muito. As casas estavam desgastadas no canil.  Algumas também serão doadas.” Disse a presidente da Asapa.

Maria Eduarda Sangali, presidente da UPA, Unidas Pelos Animais, explica que a entidade atua desde o ano passado e o trabalho é voluntário. Ela ressalta que as vezes a população cobra o recolhimento de animais, mas lembra que a população deve colaborar, pois um atendimento a um animal chega custar cerca de R$500,00, e as entidades não tem fonte de recursos que não seja a colaboração da população.

As doações para a confecção das casas, roupas e camas podem ser em madeira, tinta, brasilete, tecidos de lã, linhas, pregos e fibra.

Central de Conteúdo Unidade Sarandi

Enviar Correção

Comentários