Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Maior rigor na pena para motorista que dirigir embriagado e cometer homicídio é tema de entrevista com o Tenente Nascimento

por Valesca Heloisa Andreolli

Ele explica na entrevista sobre as mudanças na lei e a importância dos motoristas estarem conscientes dos perigos de dirigir sob efeito de álcool e outras drogas

Maior vigor na pena para motorista que dirigir embriagado e causar acidente com vítimas.
Foto: Divulgação

Entrou em vigor no dia 19 de abril a Lei 13.546/2017, que ampliou as penas mínimas e máximas para o condutor de veículo automotor que provocar, sob efeito de álcool e outras drogas, acidentes de trânsito que resultarem em homicídio culposo ou lesão corporal grave ou gravíssima. Antes, a pena de prisão para o motorista que cometesse homicídio culposo no trânsito estando sob efeito de álcool ou outras drogas psicoativas variava de 2 a 5 anos. Com a mudança, a pena aumenta para entre 5 e 8 anos de prisão. Além disso, a lei também proíbe o motorista de obter permissão ou habilitação para dirigir veículo novamente. Já no caso de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena de prisão, que variava de seis meses a 2 anos, agora foi ampliada para prisão de 2 a 5 anos, incluindo também a possibilidade de suspensão ou perda do direito de dirigir.

Tenente Paulo Cesar do Nascimento, Comandante do 5° Pelotão da Brigada Militar de Serafina Corrêa explica na entrevista sobre as mudanças na lei e a importância dos motoristas estarem conscientes dos perigos de dirigir sob efeito de álcool e outras drogas.

Central de Conteúdo Unidade Rosário

Enviar Correção

Comentários