Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Polícia Civil de Guaporé desmantela quadrilha responsável por arremessos de drogas no Presídio Estadual de Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Cinco pessoas envolvidas na tentativa de ingresso de entorpecentes foram presas. Eles eram ligados ao grupo criminoso que comanda o tráfico na cidade

Drogas, estilingues e dinheiro apreendidos com os investigados
Foto: Polícia Civil

A impossibilidade de visitas presenciais no Presídio Estadual de Guaporé, assim como em outros estabelecimentos penais do Brasil no período de março a parte do mês de outubro, fez com que os criminosos buscassem alternativas para o ingresso de produtos ilícitos e outros objetos para o consumo e utilização dos apenados. As mais utilizadas foram as modalidades de “arremessos” e “colocação dos ilícitos no meio dos pertencentes”, ou seja, nas sacolas entregues pelos familiares. Porém, em inúmeras ocasiões as tentativas não surtiram o efeito desejado. Foram diversas apreensões e prisões por parte dos policiais do 4º Pelotão da Brigada Militar (BM) e agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

Paralelo a essa atividade, agentes da Delegacia de Polícia Civil (DP), de Guaporé, investigavam a quadrilha responsável pelas práticas, em especial a do arremesso. De abril a agosto, as investigações apontaram para um grupo criminoso, que detém o domínio da venda de entorpecentes na cidade. Este é comandado por um apenado, o líder do bando, que encontra-se recolhido na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc). É através de mensagens instantâneas, vídeo chamadas e ligações pelo aplicativo WhatsApp que as ordens são dadas.

“A prioridade do grupo criminoso é abastecer o Presídio Estadual de Guaporé com drogas. É prestar apoio aos apenados e manter os negócios dentro do sistema prisional. É uma atividade de grande rentabilidade até pelas circunstâncias de fazer o ilícito chegar ao destino final”, disse o delegado Tiago Lopes de Albuquerque, que coordenou os trabalhos que resultaram na prisão de cinco criminosos responsáveis pelos delitos.

O cumprimento dos mandados de busca e apreensão (MBA) e de prisões preventivas, que resultaram na prisão de uma mulher e um homem num imóvel na rua 20 de novembro, bairro Vila Verde, e mais três criminosos no bairro Nossa Senhora da Paz (Promorar), foram realizados pelos policiais civis na noite da quarta-feira, dia 28 de outubro, e na manhã da quinta-feira, dia 29. Foram quatro presos preventivamente por envolvimento nos arremessos e um em flagrante. Ao longo das atividades na residência os agentes encontraram entorpecentes, R$ 485,00 em dinheiro e estilingues utilizados para o arremesso de pequenas quantidades de drogas para o pátio interno do Presídio Estadual de Guaporé.

“Era uma das formas utilizadas pelo grupo para fazer a droga chegar aos apenados, já que havia a dificuldade de entrar com grandes quantidades. Pequenas porções eram colocadas com bolas de gude e lançadas”, disse o delegado.

Outros presos

Os policiais civis, durante os meses de investigação, colocaram atrás das grades outros criminosos que participavam do esquema que buscava o ingresso de drogas na parte interna do Presídio Estadual de Guaporé. Operações como as chamadas "Reciclagem" e "Curitibana" foram fundamentais para a prisão de uma parte da quadrilha, que praticava o delito.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários