Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Homem é preso por policiais militares após ameaçar companheira em União da Serra

por Eduardo Cover Godinho

Rapaz, de 32 anos, que estava com uma espingarda calibre 12 com registro de furto, foi encaminhado para o sistema prisional gaúcho

Arma, utilizada para a intimidação, estava com registro de furto
Foto: Brigada Militar

Considerado um dos municípios mais tranquilos para se viver no Rio Grande do Sul, União da Serra registrou na noite da segunda-feira, dia 26 de outubro, o terceiro caso de violência contra as mulheres. Um homem, de 32 anos, foi preso pelos policiais do Grupo Polícia Militar (GPM), de União da Serra – sob responsabilidade do 5º Pelotão da BM de Serafina Corrêa, por ameaças à companheira utilizando-se de uma arma de fogo. O fato aconteceu na Linha Nona, Capela Santo Antônio, zona rural.

Conforme os policiais, a mulher, de 28 anos, que estaria em processo de separação, vinha sofrendo ameaças. O relato é de amigas que, momentos antes da prisão, haviam comunicado o fato para a Central de Operações da BM (Telefone 190). Elas estavam junto com a vítima quando toda a situação incômoda, inclusive com a utilização de uma espingarda calibre 12 para a intimidação, aconteceu. Os policiais, de posse das informações, foram ao encontro do acusado e o encontraram em sua residência.

Com ele, a guarnição localizou a arma de fogo que, conforme as testemunhas e a vítima, teria sito utilizada nas ameaças. Após receber voz de prisão, o uniserrano foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil (DP), de Guaporé, para o registro do flagrante. Durante os procedimentos legais, os policiais civis constataram que a espingarda, marca Boito A680, tinha registro de furto. Diante dos fatos, o homem foi encaminhado para o Presídio Estadual de Guaporé onde fica à disposição da Justiça.

Dados

O pacato município de União da Serra, conforme a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP/RS), registrava até o momento duas ocorrências de violência contra as mulheres. Em 2020, duas ameaças, nos meses de janeiro e fevereiro, contabilizam-se nos dados estatísticos. No ano anterior, foram cinco registros de ameaças. Não há ocorrências de lesão corporal, estupro ou feminicídio (tentado ou consumado).

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários