Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Após receber críticas, Brigada Militar explica acompanhamento em carreata

por André Fabio Bresolin

Segundo comandante da BM, medida é para garantir a liberdade de expressão e para que nenhuma pessoa fosse agredida

Medida de proteção consta no artigo 5° inciso XVI da Constituição Federal
Foto: Eduardo Cover Godinho

“Estávamos protegendo a integridade física e a segurança de todos os guaporenses que estavam manifestando”. As palavras são do comandante do 4º Pelotão da Brigada Militar (BM), de Guaporé, tenente Júlio César de Oliveira Greff, após a instituição, com mais de 180 anos de história na garantia da paz social, receber críticas por parte da comunidade pelo acompanhamento da manifestação, em forma de carreata, pelas vias urbanas da cidade contra a manutenção do Decreto Municipal que mantêm o isolamento social até o dia 5 de abril para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19). Foram dezenas de ligações para a Central de Operações (Telefone 190) e alguns comentários na rede social (Facebook) destacando o momento.

Policiais militares, em duas viaturas, acompanharam os empresários, prestadores de serviços e autônomos que reivindicaram a retomada das atividades econômicas. Durante cerca de duas horas, aproximadamente 120 veículos deslocaram-se das proximidades do Estádio Albino Pasquali (Centro Esportivo do Sesi) pelas largas ruas da cidade, passando por sete bairros (São Cristóvão, Centro, Planalto, Canecão, Nossa Senhora da Saúde, Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora da Paz). A medida de seguir o cortejo é para garantir a liberdade de expressão e para que nenhuma pessoa, seja ela presente no manifesto ou caminhando pelas ruas, sofresse alguma agressão física ou verbal.

“É uma determinação do comando da Brigada Militar realizarmos o serviço de ‘batedor’. Assim como estivemos nas duas edições da Patrulha do Bem (para que as pessoas fiquem em isolamento social), Caminhada das Vitoriosas, Procissão, Chegada do Fogo Simbólico e tantas outras, fomos solicitados (através de ofício) para acompanhá-los e garantimos que nada saísse do controle. Se a motivação fosse para a manutenção do Decreto Municipal a Brigada Militar também estaria presente”, destacou Greff.

O comandante afirmou ainda:

“Sendo uma manifestação pacífica, procuraremos sempre estar presentes para garantir a ordem e o direito de expressão de todos”.
Na Constituição Federal (CF), o artigo 5° inciso XVI, destaca: “Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente”;

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM
Rede Scalabriniana de Comunicação
Siga-nos no Instagram: @rdauroraguapore

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários