Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
 
 

Caso Dondoni Corpo localizado sem vida em Serafina Corrêa

por André Fabio Bresolin

Corpo estava ao lado de um arroio

Dondoni encontrava-se sem camisa e machucado, provavelmente da queda
Foto: Brigada Militar
O mistério do desaparecimento de José Hermínio Dondoni, 79 anos, terminou. Não da forma como a comunidade de Serafina Corrêa e aqueles que, aflitos aguardavam por um desfecho feliz, gostariam. Botchon, como era popularmente conhecido, foi encontrado sem vida nas proximidades de uma oficina, localizada às margens da rodovia ERS-129 - entrada principal da cidade. O corpo estava ao lado de um arroio (sanga). Dondoni encontrava-se sem camisa e machucado, provavelmente da queda. Foram três jovens, que estavam pescando, os responsáveis pela localização. Eles relataram para as autoridades da segurança pública (Brigada Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar e Voluntários) que perceberam algo estranho nas margens e ao se aproximarem depararam-se com o corpo de um homem caído. O próprio trio identificou como sendo do serafinense desaparecido na madrugada do dia 21 de outubro. O tenente do 5° Pelotão da Brigada Militar (BM), de Serafina Corrêa, Paulo Cesar do Nascimento, salientou que todos os esforços possíveis foram empregados para a localização de Dondoni. "Fizemos o possível para tentar encontrá-lo com vida. Mobilizamos todas as forças vivas possíveis, mas infelizmente não obtivemos êxito. Agora os trabalhos ficam a cargo da Polícia Civil e do Instituto Geral de Perícias. Agradecemos a ajuda de todos ao longo destes angustiantes dias" Novas buscas A pedido da Delegacia de Polícia Civil (DP), de Serafina Corrêa, coordenada pelo delegado Tiago Lopes de Albuquerque, o Grupo de Buscas e Salvamentos (GBS) do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (Batalhões de Porto Alegre e Santa Maria) realizaram novas incursões com a utilização de cães que utilizam a técnica Ksar (encontro de vivo e odor cadavérico). "Fomos oficiados pela Polícia Civil e diante da atividade desenvolvida pelos outros cães, que apontaram que Dondoni teria se deslocado para a rodovia, acionamos as equipes especializadas que conduzem esses cães que localizam pessoas vivas ou cadáveres. Inclusive os bombeiros de Santa Maria chegaram na cidade e na segunda viria a equipe de Porto Alegre", disse o comandante do CB de Guaporé, tenente Luimar Flores Braseiro. Ele ressalta ainda que, ao longo dos seis dias de intensos trabalhos, não faltaram esforços de todos, inclusive da comunidade serafinense. "Infelizmente não gostaríamos de ter encontrado o Dondoni desta forma. É triste para a família, para todos que se empenharam nas buscas e para a comunidade. Gostaríamos de tê-lo encontrado com vida", destacou. Polícia Civil Agentes da DP de Serafina Corrêa estiveram no local, assim como os bombeiros voluntários e policiais militares. O trabalho de investigação, que estava sendo desenvolvido desde o dia 21, prossegue. "Acreditamos que ele possa ter morrido ainda na segunda-feira. A hipótese é que chegou ao local na madrugada, se desequilibrou e caiu onde acabou sofrendo um ferimento. Provavelmente retirou a camisa para cobrir o machucado e não mais conseguiu sair dali, vindo a morrer de hipotermia", relatou o inspetor Rodrigo B. Coradini. Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM Rede Scalabriniana de Comunicação Siga-nos no Instagram: @rdauroraguapore

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários