Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Programa de Domingo
19:00:00
 
 

Bombeiros combatem incêndio de grandes proporções em prédio na área central de Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Piso superior, onde funcionavam uma fábrica de confecções e uma escola profissionalizante, ficou completamente destruído

Desespero. Correria. Gritos e muitos sons de sirenes de viaturas do 3º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), do 4º Pelotão da Brigada Militar (BM), de Guaporé, e, posteriormente, dos voluntários do Serviço Civil Auxiliar de Bombeiros (SCAB), de Serafina Corrêa, ecoaram pela área central do município durante a madrugada do domingo, dia 24 de janeiro. Um incêndio de grandes proporções tomava conta da parte superior um prédio comercial, de dois andares e construído em alvenaria, no cruzamento da avenida Sílvio Sanson e da rua Dr. Luiz Augusto Puperi, a 100 metros da praça Vespasiano Corrêa. Foram mais de quatro horas de combate às chamas que se alastraram rapidamente. Populares, diante da situação, colaboraram.

O comunicado para a Central de Operações (Telefone 193) chegou, por parte de jovens que passavam pelas vias urbanas, por volta da 0h10min. A informação era que o pavimento superior de um supermercado estava com princípio de incêndio, saindo uma densa fumaça. Em questão de minutos, bombeiros chegaram ao ponto e perceberam que o fogo, provavelmente devido ao material de rápida combustão, havia se expandido, tomando conta da metade do prédio. As altas labaredas e a fumaça podiam ser vistas de longe.

Com auxílio dos policiais militares, as vias próximas foram fechadas para evitar o acúmulo de pessoas próximas ao sinistro. A guarnição dos bombeiros, coordenados pelo sargento Rebello, deram início ao combate por fora e, posteriormente, na parte interna. Como a situação só piorava, colegas de folga foram acionados, bem como os voluntários do SCAB. Apoio prestado, foram horas e mais horas de ação. Milhares de litros de água jogados no prédio para conter o fogo. Os bombeiros, para evitar uma tragédia maior e prejuízos aos moradores vizinhos, resfriaram as paredes de uma residência ao lado.

Para se ter o tamanho da dimensão do sinistro, as viaturas do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) - dois caminhões Auto Bomba Taque (ABT) e um Auto Bomba Tanque Resgate (ABTR) com capacidade para mais de 20 mil litros no total, foram abastecidas três vezes. Água dos dois ABT e a estrutura de resgate do SCAB também foram utilizadas. Na ação de combate ao incêndio não houve registro de feridos.

“Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para evitar uma tragédia maior. Estávamos em sete bombeiros militares e mais o apoio da guarnição do SCAB de Serafina Corrêa. Contamos com a colaboração de muitos populares e só temos que agradecer a todos, inclusive àqueles que foram ao local e se mantiveram distantes do sinistro. Aos policiais militares, nossos irmãos de farda, fica a gratidão pela ajuda nesse momento difícil e que demandou um esforço incomum dos envolvidos”, disse o sargento Rebello.

No pavimento superior funcionavam uma escola profissionalizante e uma fábrica de confecções. Ambos ficaram completamente destruídos com as chamas e queda do telhado. O térreo abriga o Supermercado Tradicional. Este, aparentemente, não sofreu danos de grande monta, visto que a estrutura que dividia os dois andares era uma chapa de concreto. Produtos alimentícios e de outros gêneros, em algumas prateleiras/gôndolas, foram perdidos.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários