Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Operação Curitibana: Cinco são presos pela Polícia Civil em ação de combate ao tráfico de drogas em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Dos presos, quatro são mulheres. Elas foram localizadas em dois pontos de comercialização de entorpecentes nos bairros Nossa Senhora da Paz (Promorar) e Planalto

Agentes da Delegacia de Polícia Civil (DP), de Guaporé, com apoio dos policiais das DPs de Serafina Corrêa, Casca e Marau, colocaram atrás das grades mais quatro criminosas e apreenderam uma quantidade significativa de entorpecentes que estavam sendo comercializados em residências, apontadas nas investigações como pontos de tráfico, nos bairros Nossa Senhora da Paz (Promorar) e Planalto (Capela Nossa Senhora Aparecida). Coordenada pelo delegado Tiago Lopes de Albuquerque, a operação de combate e repressão à criminalidade recebeu o nome de “Curitibana” e contou com a participação dos delegados Norberto Rodrigues (Marau) e Thiago Roberto Zaidan (Casca).

Cerca de 15 policiais civis em cinco viaturas cumpriram no final da tarde da quarta-feira, dia 23 de setembro, quatro mandados de busca de apreensão (MBA) e dois de prisão preventiva nas ruas Henrique Pretti (Promorar) e Thalles Antônio Fillipon (Aparecida). Foram cinco prisões, sendo quatro delas de mulheres com envolvimento direto com o tráfico de drogas. Duas vieram de Curitiba (PR) e outra de Passo Fundo. O menor, posteriormente liberado pela autoridade policial, também é oriundo do Estado do Paraná.

“Conseguimos, com um trabalho eficaz de investigação, identificar os criminosos envolvidos com a traficância nestes dois locais e com os arremessos de drogas para a parte interna do Presídio Estadual de Guaporé. Fizemos um trabalho prévio para apurar e realmente demostrar a participação de cada um no ilícito. O cumprimento dos mandados, estes deferidos pela autoridade judicial, é uma das partes finais. Infelizmente temos verificado cada vez mais a presença feminina na participação do tráfico, inclusive em posições de destaque nos grupos criminosos. Estas com envolvimentos anteriores no mesmo crime”, destacou o delegado Albuquerque.

Em um dos imóveis, proximidades da quadra esportiva do Promorar, os agentes prenderam duas mulheres, idades 23 e 24 anos, e lograram êxito na localização de 21 buchas de cocaínas prontas para a venda, uma porção grande pesando 131 gramas (não fraccionada), 18 porções grandes de crack (não fraccionadas), 47 pedras de crack prontas para a venda, uma porção de maconha pesando 49 gramas (não fraccionada), 126 comprimidos de ecstasy nas cores amarelo, rosa e azul, R$ 765,00 em dinheiro (notas diversas), quatro chips para telefone celular, acessórios para embalar a droga (papel alumínio, prato) e um caderno com anotações referentes ao tráfico.

Na residência próxima ao salão da Capela Nossa Senhora Aparecida, os policiais efetuaram a prisão de mais duas mulheres, de 21 e 30 anos, apreenderam um menor de idade e localizaram uma arma de fogo (revólver Rossi calibre 32) e quatro munições intactas calibre 38. Nas buscas encontraram seis tijolos de maconha pesando 229,3 gramas (não fraccionados), 27 buchas de cocaína prontas para a venda, 69 pedras de crack prontas para a venda, uma pedra de crack pesando 9 gramas, R$ 142,85 em dinheiro, duas máscaras, colete balístico e acessórios para embalar/armazenar drogas (potes plásticos).

Conforme o delegado Albuquerque, as investigações relativas ao tráfico e à movimentação de organizações criminosas são permanentes.

“O tráfico é fomentador e a mola propulsora de diversos outros crimes, como furtos praticados por usuários, roubos e até homicídios. O trabalho da Polícia Civil é contínuo. Na prática, essas pessoas, após presas, são rapidamente substituídas por outras. Infelizmente, os traficantes conseguem trazê-las para o mundo do crime. Mas nós continuamos trabalhando para combater essa triste situação”, afirmou.

As quatro mulheres, diante dos fatos, receberam voz de prisão e foram encaminhadas para o registro do flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas. Após os procedimentos legais, o quarteto foi conduzido para o Presídio Estadual de Guaporé. Um outro envolvido na venda de entorpecentes encontra-se recolhido e os policiais civis cumpriram o mandado de prisão preventiva no estabelecimento prisional onde está cumprindo a pena.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários