Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Engenheiros e Coordenadoria Municipal da Defesa Civil avaliam situação da ERS-129

por Eduardo Cover Godinho

Empresa Beck De Souza encaminhará relatório do trecho entre Guaporé e Serafina Corrêa para a Superintendência do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (DAER)

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (COMPDEC), de Guaporé, através do coordenador Rafael Pissetti, acompanhou na tarde da terça-feira, dia 14 de julho, dois engenheiros da empresa Beck De Souza Engenharia Ltda durante análise do trecho entre os municípios de Guaporé e Serafina Corrêa. A empresa está a serviço do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (DAER).

Ao longo do trajeto de 20 quilômetros, os engenheiros Marcus Vinicius Espindola Machado e Gelso Antônio Bertoncello verificaram a situação do pavimento asfáltico em pontos críticos, as calhas e bueiros que estão entupidos, os locais de formação de lâminas de água (lençóis d’água) e as encostas que oferecem riscos de desmoronamento de terra, pedras e árvores para a pista de rolamento.

Todos os problemas da ERS-129 e o que os condutores estão enfrentando com a carência de manutenção foram relatados por Pissetti.

“Identificamos, em especial com as chuvas que atingiram a região, diversos pontos ao longo da rodovia que oferecem risco iminente aos condutores. Além das péssimas condições do asfalto, que em pontos específicos apresentam muitos buracos e ondulações, verificamos que as calhas entupidas jogam água para pista e formam corredores que dificultam a trafegabilidade em dias de chuva. Além disso, temos alguns pontos do barranco que podem ceder, ocasionando a interrupção do tráfego e até um acidente”, salientou.

Muitos motoristas, segundo o coordenador da Defesa Civil, acabam danificando seus veículos pelas péssimas condições encontradas. É comum ver automóveis parados no acostamento com problemas em rodas, pneus e suspensões, quando não estão sendo guinchados por não terem condições de trafegar.
“Não são somente os danos materiais que queremos diminuir com o pedido de manutenção da rodovia, mas sim, evitar que tragédias aconteçam. Para isso, chamamos os engenheiros responsáveis pelo trecho para que verificassem ‘in loco’ como encontra-se a ERS-129. Se surpreenderam com as condições e o relatório será encaminhado para as autoridades competentes”, disse Pissetti.

Análise
Os engenheiros da Beck De Souza passaram por pontos cruciais e apontados pela COMPDEC como os que mais ocasionam quebras de veículos e acidentes de trânsito.
“Há inúmeros buracos e pontos de deslizamento entre Guaporé e Serafina Corrêa. Percorremos o trecho e realizaremos um relatório para encaminhamento ao DAER com objetivo de que acione os contratos vigentes para prestar um apoio nos próximos dias”, disse Machado.

Ele salienta que aumento da demanda, somado com os problemas financeiros e de recursos humanos causados pelas medidas tomadas pelas empresas e Governo para o enfrentamento à disseminação do coronavírus (Covid-19) e às dificuldades para a conservação dos milhares de quilômetros das rodovias atingem todo o Estado.

“Alguns contratos de manutenção das rodovias foram paralisados. Estamos com uma demanda grande e pedimos paciência para todos”.

Conforme os engenheiros Machado e Bertoncello, não há data específica para a manutenção do trecho entre Guaporé e Serafina Corrêa. Porém, o relatório será encaminhado a 6ª Superintendência do Daer, com sede em Passo Fundo, com pedido de urgência para uma operação tapa-buracos e limpeza das margens da rodovia.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários