Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Novas ações serão tomadas para conscientização da comunidade guaporense

por Eduardo Cover Godinho

Município contabiliza mais de 340 casos, sendo que deste total 46 estão com o vírus ativo e 296 estão recuperados

Tenente Greff colocou policiais à disposição para ações de repressão e combate a pandemia
Foto: Eduardo Cover Godinho

O crescimento vertiginoso dos casos confirmados do coronavírus (Covid-19), somado às internações hospitalares e os três registros de mortes de pacientes com exame positivo para a doença, colocou um alerta nas autoridades municipais e profissionais de saúde de Guaporé que estão na linha de frente de combate à disseminação. O município contabiliza mais de 340 casos, sendo que deste total 46 estão com o vírus ativo e 296 estão recuperados.
A preocupação da Administração Municipal, dos órgãos de segurança pública (Brigada Militar e Polícia Civil), Ministério Público (MP), Conselho Tutelar, secretários municipais, representantes de entidades de classe (CIC, CDL, AJOLI, SINDIJOIAS), Coordenadoria de Defesa Civil(COMPDEC), fiscalização, vigilância sanitária, Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), entre outros, é a movimentação intensa verificada diariamente nas vias urbanas e espaços públicos. É comum ver parte da comunidade desrespeitando as medidas e regulamentações incluídas nos protocolos sanitários e de saúde. Aglomerações em praças e espaços públicos, o não uso de máscara e a falta de respeito ao distanciamento social são as principais. Ações mais enérgicas, com a união de esforços, devem ser colocadas em prática para tentar diminuir os casos confirmados da doença no município.
“Infelizmente uma parcela da população não está se respeitando e sendo obediente às leis e orientações do serviço de saúde. O resultado estamos vendo: cada vez mais pessoas infectadas e precisando de atendimento. Nos reunimos para traçar estratégias para tentar reverter esse quadro, pensando formas de aumentar a fiscalização e reprimir o movimento das pessoas”, afirmou o promotor de Justiça da Comarca de Guaporé, Dr. Cláudio da Silva Leiria.
Leiria destacou ainda:
“Entendemos que população esteja cansada da quarentena, pois estamos desde o final do mês de março com restrições variadas. É um movimento pendular de vai e vem, hora se libera pouco mais atividades e outra se restringe. Sabemos que do ponto de vista psicológico é cansativo. Mas, temos que obedecer as determinações do Poder Público. Senão não há sociedade organizada. Somos organizados porque temos regras, leis e normas. Evidentemente alguns setores sofrem mais que os outros, é inegável, mas não podemos deixar de cumprir as regras porque elas estão nos afetando. Entendo a posição do comércio e sei que as pessoas estão cansadas. É o momento da população, como um todo, colaborar. Quanto mais a comunidade não colabora, mais se estende o período de restrição de atividades”, disse.
O comandante do 4º Pelotão da Brigada Militar (BM), tenente Júlio César de Oliveira Greff, salienta que, em caso de descumprimento das normas, os policiais, juntamente com os fiscais municipais, agirão com o rigor da lei.
“Se não tivermos a conscientização das pessoas, seremos obrigados a agir de maneira mais incisiva, aplicando ao pé da letra a legislação (Art. 268 do Código Penal) para as pessoas que relutarem e se aglomerarem em espaços e vias públicas em pontos de maior circulação. Por muito tempo estávamos orientando as pessoas para que respeitassem às normas, mas acabamos vendo que muitos não colaboram. Então, neste caso, vamos ter que fazer o que a lei determina”, disse Greff que, ao lado das guarnições que atuaram nos dias 18 e 19 de julho, registraram Termos Circunstanciados (TCs) em diversos jovens que estavam aglomerados na área central.
O tenente Greff pede a compreensão das pessoas quanto ao respeito as normas e a atuação dos fiscais e dos policiais militares.
“Por mais que tivéssemos o número ideal de policiais, assim mesmo não seria suficiente para orientar e atuar de forma repressiva para o cumprimento dos decretos. É preciso uma conscientização de cada guaporense. Se a pessoa não tem respeito com a sua saúde, que tenha pela do outro. Ninguém sabe, não sou especialista em saúde, de que forma o organismo irá reagir quando contrair o vírus. Por isso, pedimos que respeitem as normas e sigam os cuidados solicitados pelas autoridades de saúde”, destacou.

Conscientização
A “Carreata do Bem”, com participação da Brigada Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, é uma das ações que deverão sair do papel nos próximos dias para conscientizar a comunidade quanto a importância do uso da máscara em ambientes abertos e fechados, do respeito ao distanciamento social e a permanência em suas residências sempre que possível. O ato consiste em, com a utilização de um carro de som transitando pelas vias urbanas da área central e dos bairros, passar uma mensagem para a população.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários