Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
05:00:00
Tá na Hora
07:00:00
 
 

Preocupação: Guaporé inicia 2020 em alerta quanto à dengue

por André Fabio Bresolin

Conforme a SES, no ano passado mais de 1,3 mil casos das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti foram confirmadas no RS

A transmissão da dengue, zika e chikungunya ocorre pela picada do Aedes Aegypti
Foto: Arquivo/Palácio Piratini

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da secretaria de Saúde (SES), divulgou dados sobre a situação dos municípios onde a infestação do mosquito Aedes aegypti é considerada de alerta ou de alto risco de transmissão de dengue, chikungunya e zika. O quadro representa os municípios onde mais de 1% dos imóveis vistoriados por agentes de endemias apresentaram larvas do inseto. São 98 cidades, entre as 497, que fazem parte da listagem.

Entre os municípios estão Guaporé, Anta Gorda, Casca, Dois Lajeados, Montauri, Muçum, Nova Araçá, Nova Bassano, Paraí, São Valentim do Sul e Serafina Corrêa. Guaporé, segundo a SES, apresenta dado positivo para cidade “infestada”. Conforme o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), o número é de 1,9.

Conforme a SES, no ano passado mais de 1,3 mil casos das três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti foram confirmadas no Rio Grande do Sul. Foram mais de 4,1 mil casos suspeitos. Os casos de dengue, destaca o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS/RS), são notificados em todos os meses do ano, embora haja um aumento durante a sazonalidade da doença que ocorre entre os meses de novembro a maio.

Medidas de prevenção contra o mosquito

A transmissão da dengue, zika e chikungunya ocorre pela picada do Aedes aegypti. O mosquito tem em média menos de 1 centímetro de tamanho, é escuro e com riscos brancos nas patas, na cabeça e no corpo. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada, não necessariamente suja. Muitos desses locais são dentro de pátios e até dentro das residências. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação busca eliminar esses possíveis criadouros, impedindo o nascimento do inseto. Entre as medidas, recomenda-se:

- Tampar caixas d'água, tonéis e latões,
- Guardar garrafas vazias viradas para baixo,
- Guardar pneus sob abrigos,
- Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia,
- Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises,
- Manter lixeiras fechadas e
- Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM
Rede Scalabriniana de Comunicação
Siga-nos no Instagram: @rdauroraguapore

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários