Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Sem munícipes no plenário, vereadores encaminham requerimentos para a Mesa Diretora na 41ª sessão ordinária

por Eduardo Cover Godinho

Restrições do Distanciamento Controlado, impedem a presença dentro da Casa do Povo. Atividade foi rápida e polêmica

Os 11 representantes do povo de Guaporé estão no mês derradeiro das atividades da gestão 2017/2020. Cinco deles, a partir do dia 1º de janeiro de 2021, darão continuidade ao trabalho, enquanto os demais, que não concorreram no pleito eleitoral de novembro, estarão longe dos embates e de algumas “dores de cabeça” proporcionadas dentro da Câmara Municipal de Vereadores.

A 41ª sessão ordinária, presidida por Jairo Elias Zanatta (MDB), gerou polêmica. Mesmo sem projetos para apreciação, os legisladores discutiram, após apresentação dos requerimentos escritos para a Mesa Diretora, a tributação que incidirá no valor do IPTU 2021. Para os progressistas e emedebistas, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM), aplicado há décadas, deverá ser substituído pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Diferente das sessões passadas, ninguém ocupou as cadeiras do plenário Roberto Baldasso na noite da segunda-feira, dia 7 de dezembro. Em bandeira vermelha, conforme o Distanciamento Controlado do Governo Gaúcho, as restrições impedem a presença para o acompanhamento na Casa Legislativa. O objetivo é evitar que, mesmo que com todas as medidas sanitárias adotadas pela Mesa Diretora, o vírus possa se disseminar entre os presentes.

Requerimentos

Sem projetos elencados para apreciação, os vereadores encaminharam requerimentos escritos para a Mesa Diretora. O destaque, que gerou discussão, ficou para o apresentado pelos progressistas Itamara Franceschini, Pato e Valcir Fanton. O pedido é para que o Poder Executivo altere o índice de correção monetária utilizado para os tributos Municipais para o ano de 2021, substituindo o IGPM para o IPCA.

“Atualmente o IGPM acumula alta de 24,25% até novembro, enquanto o IPCA está em 3,92%. Repassar essa alta para os consumidores, em especial no pagamento do IPTU, poderá torná-lo inviável aos guaporenses. Esperamos que o Governo Municipal seja sensível aos apelos, não dos vereadores progressistas, mas da comunidade”, disseram.

Semelhante, os emedebistas Dra. Marisa Bordin e Homero Marcolina buscam, através de requerimento, a mudança para o INPC. Ambos ainda solicitaram que seja encaminhado uma Moção Honrosa ao Jornal Tribuna do Serra, pela passagem de seus 35 anos de atividade no município.

42ª sessão

As atividades ordinárias no plenário Roberto Baldassso voltam a ser realizadas na segunda-feira, dia 14 de dezembro, às 19h. Ainda classificada em área de alto risco de contágio a Covid-19, a sessão não poderá contar com a presença dos munícipes.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários