Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Moradores relatam abandono de cães e gatos na zona rural de Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

“São pessoas sem coração e amor ao próximo’, afirmou uma agricultora

O abandono de animais tem se tornado uma triste realidade na zona urbana e, principalmente, no interior de Guaporé. Relatos de produtores rurais das comunidades da Linha Três de Maio (Capela São Marcos/Usina), Linha 5ª Peruzzo e 5ª Maróstega, dão conta que o número de cães e gatos, das mais diversas raças, cresceu vertiginosamente ao longo dos quatro primeiros meses de 2021. Entre as razões estão as crises social e econômica provocadas pela pandemia do coronavírus (Covid-19). Sem emprego ou com dificuldades financeiras, muitas famílias estão, de forma insensível e desrespeitosa com a vida, largando os animais em pontos distantes dos seus lares.

Uma moradora da Capela São Marcos/Usina que diariamente transita pela estrada vicinal que liga a rodovia ERS-129 até a ponte sobre o rio Guaporé, divisa com o município de Anta Gorda, relatou que o abandono, mas pode ser chamado de “despejo ou descarte” de cães e gatos está acontecendo com frequência. A cada dois dias, em média, um é largado e fica à mercê da sorte para sobreviver. Perdidos, desprotegidos da chuva, do frio, da exposição ao tempo e sem comida/água, os animais passam a perambular pelas estradas de chão, entradas de propriedades rurais em busca da sobrevivência.

“A cada dois ou três dias verificamos que novos cães e gatos estão sendo largados na estrada da ponte seca até a descida do morro da usina. São pessoas sem caráter e o mínimo de respeito com a vida. Os animais ficam soltos (abandonados) e sem comida por dias. Percebo que muitos agricultores e pessoas que possuem sítios acabam ajudando com ração, alimentos e água. Com pena dos ‘pobres bichos’, muitas passam a cuidar (adotam)”, disse a produtora rural.

Ela complementou:

“Chega a ser chato ter que comentar sobre esse assunto. Nem deveríamos nos preocupar com isso. Mas, infelizmente, virou um descarte de animais. É triste, muito triste”.

O abandono de animais, conforme verificado com a Secretaria do Meio Ambiente e com as Organizações Não Governamentais (ONG) Protegendo Animais >Ponto.Com (PAC) e Miau de Rua, não é exclusividade da região da Linha 3º de Maio, sentido Guaporé/Anta Gorda, e das Linhas 5ª Peruzzo e 5ª Maróstega. Em outros pontos das zonas urbana e rural, inclusive na área central, há muitos cães e gatos que ficam “jogados à sorte”.

“Torna-se uma questão de saúde pública. Temos duas entidades extremamente comprometidas com a causa animal, mas não passa pelo voluntariado deles a resolução dos problemas de abandono. É questão de respeito e amor à vida. Lamento, como secretária de Meio Ambiente, que tenhamos que lidar com essa situação”, disse Monia Zampeze que pede a colaboração da comunidade para que denuncie caso flagre alguém abandonando animais.

É crime

Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Uma nova legislação, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada no mês de setembro pelo Governo Federal, aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime. Além disso, o rito processual passa à vara criminal, não mais ao juizado especial.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários