Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
19:00:00
A Voz Do Brasil
20:00:00
 
 

CDL Guaporé posiciona-se favorável ao comércio e contrária à bandeira vermelha

por Eduardo Cover Godinho

Entidade, que conta com cerca de 290 associados, destacou em nota que todos os protocolos estão sendo cumpridos

Foto: Ilustração

Com cerca de 290 associados, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), de Guaporé, posicionou-se contrária à decisão do Governo do Rio Grande do Sul que classificou a região da Serra Gaúcha, composta por 49 municípios que inclui a “Capital da Hospitalidade”, com a bandeira vermelha no Distanciamento Controlado. Considerada área de alto risco de contágio ao novo coronavírus, a cidade, que recuperava-se economicamente após o “lockdown” estabelecido no final de março e início de abril, sofre mais um baque no setor econômico, em especial do comércio não essencial e dos restaurantes.

Em carta aberta, acompanhando a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul, a CDL Guaporé, presidida por Gládis Bósio Zanette, é contrária ao fechamento arbitrário e sumário dos estabelecimentos comerciais, por não considerá-los disseminadores da Covid-19. Em trecho, destaca:

“... tendo em vista os números apresentados da Covid-19 até o presente momento, de todos os cuidados e providências tomadas em nossa comunidade, manifesta-se CONTRÁRIA à implantação da Bandeira Vermelha, para o comércio local, que seguiu todos os protocolos e providências estabelecidos pelas autoridades, por estar ciente de que o mérito de tais medidas, visavam e visam preservar a vida...”.

Apesar de ser contrária à decisão, conforme destacou a presidente Gládis, a entidade respeita o posicionamento do Governo Estadual e não incentiva os associados no descumprimento das medidas que estão no modelo de Distanciamento Controlado – Bandeira Vermelha. Porém, o questionamento de partes do decreto, principalmente para quem obedeceu e cumpriu as regras estabelecidas, é de direito.

“...sabemos que leis e decretos, são feitos para serem cumpridos agora e sempre, não somente quando as crises se instalam. No entanto, acreditamos firmemente que através dos ensinamentos que a crise diariamente nos proporciona, haveremos de unidos vencer estes tempos difíceis e sairmos após a pandemia, ainda mais fortalecidos”.

Segundo Gládis, o abre e fecha, juntamente com a incerteza de qual será o posicionamento “amanhã”, causa prejuízos graves aos comerciantes guaporenses, inclusive com riscos do fechamento em definitivo das portas.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários