Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
08:00:00
Missa Dominical
08:50:00
 
 

IBGE calcula 24.509 moradores em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Estimativa populacional, com base nos últimos censos demográficos (2000 e 2010) foi divulgada no final do mês de agosto. No Brasil, somos 204,5 milhões

População de Guaporé segue crescendo a cada publicação do IBGE
Foto: Jonathan Malfatti

24.509 habitantes. É esse o número de pessoas que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que estão vivendo nos 298 km2 de área em Guaporé. A conclusão é do estudo publicado no Diário Oficial no dia 28 de agosto, onde há a estimativa das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros. Estima-se que o Brasil tenha 204,5 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento de 0,83% de 2014 para 2015. O Rio Grande do Sul chegou a 11.247.972 de residentes em 2015, frente aos 11.207.274 do ano passado.

Na região de abrangência da Agência do IBGE/Guaporé, composta por 14 municípios, seis municípios (Arvorezinha, Guaporé, Nova Alvorada, São Valentim do Sul e Serafina Corrêa) registraram crescimento na população nos últimos 365 dias. Sete (Anta Gorda, Ilópolis, Itapuca, Montauri, Putinga, Relvado e União da Serra) tiveram diminuição no número de habitantes. Apenas Vista Alegre do Prata, segundo o Instituto, permaneceu com a mesma quantidade de residentes entre 2014 e 2015.

Segundo o Chefe da Agência, Luis Carlos Fava, a estimativa populacional é feita pelo IBGE com base em dados dos dois últimos censos demográficos (2000 e 2010) e não há pesquisa de campo, e sim uma aplicação matemática para projetar a população, seguindo uma tendência.

“São inúmeras variáveis analisadas. Entre elas, o que ocorreu entre os últimos censos demográficos, crescimento vegetativo da população, a consolidação dos movimentos migratórios e o cálculo dos nascidos/vivos e dos óbitos que ocorrem dentro deste mesmo período. Junta-se a variação e monta-se uma equação estatística para se chegar a estimativa populacional. Percebemos que nas últimas décadas temos, principalmente nos municípios industrializados, um percentual mais elevado de crescimento em comparação aos demais, inclusive uns com crescimento negativo, que basicamente vivem da economia primária”, disse Fava.

Para o Chefe do IBGE/Guaporé, a cidade, que tem a economia baseada nas micro e pequenas empresas, cresceu 0,6% entre 2014 e 2015, graças a oferta de emprego, concentração da industrialização e expansão na produção agrícola. Provavelmente, segundo Fava, haverá em um futuro não tão distante, uma desaceleração e um registro negativo no número de habitantes.

“É difícil dizermos se Guaporé vai estagnar ou deixar de crescer nos próximos anos. Tudo dependerá dos fatores destacados anteriormente. Em nível nacional a tendência é que a redução na população comece a ser registrada a partir de 2030”, destacou.

Segundo Fava, as estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários e são, também, um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na distribuição do Fundo de Participação de Estados (FPE) e Municípios (FPM). A divulgação anual obedece ao artigo 102 da lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais