Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

No retorno, fotografia da AGE poderá ser outra para a disputa da Liga Gaúcha 2

por André Fabio Bresolin

Clube analisa questões financeiras e projeta queda considerável na receita

Diretoria está se reunindo de forma virtual para decidir o futuro da comissão técnica e grupo de jogadores
Foto: André Bresolin/Assessoria Imprensa AGE

“A situação é delicada”. De forma simples e direta, o presidente da Agremiação Guaporense de Esportes (AGE), Ezequiel De Lima, resumiu o momento vivido pela entidade. Com atividades paralisadas devido ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a AGE analisa questões financeiras e projeta queda considerável na receita. Comissões técnicas, atletas, crianças, adolescentes e jovens, seja do Adulto ou das Categorias de Base, não estão sem atividades há quase 60 dias. A situação do caixa é das melhores e a tendências é de dificuldades para o restante da temporada. Cortes deverão ocorrer.

“A crise econômica não é só da AGE. A situação é geral e como os clubes dependem exclusivamente de arrecadações, ou seja, dos patrocínios, sócios-torcedores e comercialização de produtos, todos estão se reestruturando. Não será fácil. Posso garantir que perdemos cerca de 60% da arrecadação com as atividades paralisadas”, disse De Lima.

O presidente da AGE acredita que o retorno para os treinamentos táticos com o técnico Fernando Castoldi e auxiliares irá se estender por mais alguns meses. Todos os atletas foram liberados, na metade de março, para se deslocarem às suas residências e ficarem em isolamento social. Quatro permaneceram na “Casa do Atleta” e recebem todo o suporte da entidade. Eles, assim como os demais, aguardam os novos posicionamentos dos governos e autoridades para voltar às atividades.

“Não tínhamos como segurá-los aqui. Alguns optaram por permanecer, mas a grande maioria foi para casa. Pedimos para que, dentro do possível e permitido, se mantivessem em forma, praticando alguma atividade física. Acreditamos que no retorno não vamos ter muitos problemas para recuperar a forma física dos atletas”.

Conforme De Lima, a diretoria está se reunindo, de forma virtual e mantendo contatos via grupo de mensagem, para decidir o futuro da comissão técnica e grupo de jogadores. Não descarta-se uma “mudança na fotografia” para diminuir despesas para a conclusão da temporada.

“Vamos tentar manter os atletas, até porque fizemos um planejamento interessante para a AGE e na busca por títulos. Porém, com tudo isso que estamos passando, diminuiu muito a arrecadação e a própria estrutura da entidade. Então, vamos sofrer algumas alterações, mas tentaremos mexer o mínimo possível”, disse o presidente.

Na videoconferência, realizada pela Liga Gaúcha de Futsal (LGF) com a participação dos representantes das 16 equipes que vão disputar a Liga Gaúcha 2, o presidente e o apoiador Jonathan Filgueira colocaram a situação da AGE Futsal e posicionaram, assim como os demais, na realização da competição no segundo semestre.

“Todos os dirigentes sabem das dificuldades que irão enfrentar no restante da temporada, porém, houve unanimidade na realização da Liga Gaúcha 2. A princípio a fórmula deverá ser mantida, mas não haverá rebaixamento”, destacou.

Nos próximos dias, os dirigentes deverão participar de uma nova reunião virtual com a LFG.

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM
Rede Scalabriniana de Comunicação
Siga-nos no Instagram: @rdauroraguapore

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários