Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Comunidade guaporense aprova mudanças no Plano Municipal de Educação

por André Fabio Bresolin

A partir das 20 metas do PNE, foram traçadas 162 estratégicas que contemplam todos os níveis, modalidades e etapas educacionais

Das 162, 85 foram alcançadas, ou seja, 52,46%
Foto: Eduardo Cover Godinho

Professores, monitores, atendentes, auxiliares e demais profissionais da educação de Guaporé, bem como integrantes do Poder Público, Câmara de Vereadores, Conselho Tutelar e de outros setores da sociedade, participaram nos dias 2 e 3 de outubro, nas dependências da Escola Municipal de Educação Fundamental Imaculada Conceição, da II Conferência Municipal de Educação – 1ª Avaliação do Plano Municipal de Educação de Guaporé. O evento, organizado pelo Fórum Municipal de Educação (FME), teve como objetivo analisar as estratégias e votar contribuições para alterações no Plano Municipal de Educação (PME), reelaborado em 2014.

A partir das 20 metas do PNE, foram traçadas 162 estratégicas que contemplam todos os níveis, modalidades e etapas educacionais, além de estabelecer diretrizes para a profissão docente, a gestão democrática e o financiamento do ensino. Das 162, 85 foram alcançadas, ou seja, 52,46%. Anualmente, conforme a coordenadora do FME, Simone Cardoso, relatórios são encaminhados para o Ministério da Educação com os dados referentes às estratégias.

Na abertura da Conferência, o vice-prefeito Adalberto Bastian, afirmou que a Educação sempre foi a prioridade da Administração Municipal. Os problemas enfrentados na história da educação no Brasil são o que hoje combatemos enquanto sociedade como desigualdades, injustiças, violência, falta de oportunidades de trabalho e falta de qualidade de vida. Porém, salientou Bastian, é hora de mudar a realidade.

“Aqui hoje podemos começar a construir um futuro com muito mais igualdade social, mais justiça, mais paz, mais oportunidades e muito mais qualidade de vida! Que responsabilidade temos em nossas mãos! Por isso mesmo estamos juntos! Porque quando dividimos ideias, pensamentos, multiplicamos acertos. Pensamos melhor juntos, executamos ainda melhor unido. Estamos aqui para fazermos um balanço sobre o que já conquistamos e principalmente, estamos aqui para fortalecermos nosso compromisso em conquistar cada vez mais”, disse.

O convidado para palestrar na II Conferência Municipal de Educação foi o professor Vlademir Basso. Colaborador da União Nacional dos Conselho Municipais de Educação, Seccional do Rio Grande do Sul (UNCME/RS), Basso trouxe a temática “Os Desafios no Cumprimento dos Planos de Educação”.

“São desafios de todos para que as metas do Plano Municipal de Educação sejam alcançadas o regime de colaboração, participação da sociedade, atendimento da educação e o financiamento”, destacou.

Os presentes, ao longo dos dois dias de muito debate sobre as estratégias específicas para a redução da desigualdade e uma melhor educação para todos, aprovaram algumas alterações no PME. A coordenadora do Fórum salientou que o PME, a partir de suas estratégias, busca dar conta de todas as dimensões da educação de qualidade para Guaporé, e muito do que se deseja e está posto em forma de lei municipal, se tornou concreto pelas mãos de nossos GESTORES, professores, monitores, atendentes, auxiliares, psicólogos, fonoaudióloga, pedagogas, diretoras, coordenadoras ou supervisoras pedagógicas, cozinheiras, serventes e secretários de escola, que estão junto aos bebês, crianças e jovens em nossas escolas e setores de apoio educacional

“Podemos sim comemorar avanços, pois muitas estratégias foram alcançadas. Mas sabemos que tudo que foi debatido nos últimos anos foi desconsiderado com a aprovação da Emenda Constitucional nº 95, que congela o investimento público em educação, saúde e assistência por 20 anos, e inviabiliza muitas das metas dos Planos Nacional (PNE) e Planos Municipais. Muitas estratégias vitais ainda não saíram do papel, exigindo a contínua mobilização de todos os interessados pela excelência em educação para Guaporé”, disse Simone.

Ela afirmou ainda que a jornada estava encerrando, mas o trabalho na educação é diário.

“O espírito e o trabalho da conferência não se encerram junto com ela, mas continuam na elaboração do relatório final do PME e no assumir das responsabilidades e das ações pactuadas por todos os participantes e pelo Poder Público. A todos que nos ajudam nesta construção, nosso muito obrigado”.

A II Conferência Municipal de Educação foi abrilhantada por uma atividade cultural realizada pelos alunos do 3º Ano, turma 301, da Escola Estadual de Ensino Médio Frei Caneca. Os alunos apresentaram uma encenação intitulada “Abaetê".

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM
Rede Scalabriniana de Comunicação
Siga-nos no Instagram: @rdauroraguapore

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários