Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Após recuperação, empregabilidade volta registrar queda em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Diferente de janeiro, segundo mês de 2017 teve mais desligamentos do que admissões. Apesar disso, números no ano seguem positivos

Foto: Divulgação

Os momentos de felicidade pela retomada da economia e da empregabilidade em Guaporé duraram pouco. Após apresentar dados positivos no mercado formal de trabalho no mês de janeiro, o Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul (UCS) voltou a divulgar a carta mensal com números nada agradáveis. Analisando dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), os empregadores guaporenses desligaram mais trabalhadores do que contrataram em fevereiro. Na somatória de admitidos e desligados, oito vínculos foram encerrados ao longo dos 28 dias do segundo mês de 2017. Foram 230 admissões e 238 demissões. A “Capital da Hospitalidade” foi na contramão do Brasil e do Rio Grande do Sul. Foram abertos em território nacional, 35.612 postos de trabalho. Em solo gaúcho, as indústrias contrataram 10.602 empregados a mais do que demitiram.

Em Guaporé, no mês de fevereiro, a Indústria de Transformação admitiu, com carteira assinada, 123 novos trabalhadores. Porém, diferente do mês anterior, o número de desligamentos foi maior e 133 tiveram seus vínculos encerrados. O saldo foi de 10 postos de trabalho fechados, o maior entre as atividades econômicas analisadas. Negativo também foram os dados dos Serviços. Seis vagas foram fechadas. O Comércio, que havia amargado dados estatísticos negativos na abertura de 2017, apresentou sinais de recuperação e fechou fevereiro com oito novos vínculos, totalizando quatro na somatória dos dois meses. O saldo acumulado no ano entre admissão e desligamento, segundo o Observatório do Trabalho da UCS, é de 41 vínculos abertos. Nesse mesmo período, a atividade econômica que mais abriu postos de trabalho foi o da Indústria de Transformação, com 16 novos vínculos.

A expectativa dos analistas de mercado e dos pesquisadores da instituição de ensino superior é que o ano apresente variação na empregabilidade dos trabalhadores, ou seja, meses de crescimento acentuado e outros de queda significativa no mercado de trabalho, destacou Lodonha Maria Portela Coimbra Soares - coordenadora do Observatório do Trabalho.

“Vamos ter uma pequena variação, mas a tendência é que tenhamos números positivos da empregabilidade ao término deste ano. A expectativa é que o mercado e a economia recuperem suas forças gradativamente, principalmente no segundo semestre. Há vagas disponíveis em muitas cidades, inclusive em Guaporé, mas há falta de mão de obra qualificada tem prejudicado o ingresso de muitos no mercado. É preciso que todos estejam atentos para as pequenas, mas importantes mudanças no comportamento de contratações que estão ocorrendo”.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários