Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Saldo negativo no emprego em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Números de setembro mostram que situação segue preocupante. No mês foram fechados 32 postos de trabalho no município

A estagnação da economia e a falta de perspectivas a curto e médio prazo fazem com que os empresários invistam menos e demitam mais. A retração dos consumidores que estão com o “pé no freio” na compra de produtos colabora com o momento. A prova de que o Brasil prossegue economicamente a passos de tartaruga, mesmo com a mudança do líder máximo do Governo Federal, são os números divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Através do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED), seguindo definição usada pelo sistema RAIS/CAGED, descobriu-se que o número de desempregados segue crescente. No mês de Setembro foram fechados 39.282 postos de trabalho no Brasil. O saldo acumulado no ano é de 683.597 postos a menos.

No Estado do Rio Grande do Sul, a situação não é diferente, segundo os números oficiais. Foram encerrados 2.828 vínculos nos 30 dias do mês nove de 2016. O acumulado do ano é de 29.588 pessoas a mais procurando um novo emprego. Na região da Serra Gaúcha, conhecida como próspera pelos investimentos do empresariado e a pujança da população, há oscilação de admissões e demissões. Das nove cidades pesquisadas pelo Observatório do Trabalho, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Canela, Nova Prata e São Sebastião do Caí apresentaram números positivos. As demais, incluindo Guaporé, amargam mais um mês com resultados nada satisfatórios.

A “Capital da Hospitalidade”, que até meados de agosto de 2015 vivia em uma “bolha”, voltou a apresentar dados negativos no mês de setembro. Foram fechados 32 postos de trabalho. No período, os setores que mais abriram postos foram o do Comércio, com cinco novas vagas, seguido pelos Serviços, com quatro vínculos criados. O setor que mais fechou foi o da Indústria de Transformação, com 36 vínculos encerrados, seguido pela Construção Civil, com seis vagas fechadas. O saldo acumulado no ano entre admissão e desligamento é de 85 vínculos fechados. Nesse mesmo período o setor que mais fechou postos de trabalho foi o da Indústria de Transformação, com 117 desligamentos.

A expectativa é que o cenário só tenha melhoras significativas e volte a crescer na metade de 2017.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais