Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em ano atípico de pandemia, Guaporé registra novo crescimento do mercado formal de trabalho

por Eduardo Cover Godinho

Foram 108 empregos formais abertos. Resultado positivo foi influenciado pelo setor da Indústria, que criou 103 vagas no período

Foto: Ilustração

O Brasil voltou a registrar crescimento no mercado formal de trabalho em meio à pandemia do coronavírus (Covid-19). Praticamente todos os setores da economia fecharam o mês de setembro com dados positivos. Foram 1,4 milhão de admissões e 1,1 milhão de desligamentos resultando, então, em 313,6 mil empregos gerados, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) – Ministério da Economia (ME). O estoque do país, com o segundo mês consecutivo apresentando números favoráveis, saltou para 38,3 milhões de empregos com carteira assinada. Porém, nos nove primeiros meses de 2020, o saldo ainda é negativo.

O impacto da pandemia é sentido em solo gaúcho. O Rio Grande do Sul, apesar de fechar o terceiro mês de saldo positivo, ainda acumula destruição de 74,4 mil empregos formais no ano. Em setembro, foram criados 15,7 mil vínculos. A Indústria foi o setor que mais fomentou o resultado positivo, registrando a criação de 7,5 mil empregos, marcando um aumento de 1,18% do nível de empregos nesse setor.

Na região de abrangência da Universidade de Caxias do Sul (UCS), com estudo mensal do Observatório do Trabalho (Obstrab UCS) coordenador pela doutora Lodonha Maria Portela Coimbra Soares, foram abertos 2,4 mil empregos formais. Doze dos quatorze municípios apresentaram saldo positivo. O destaque foi Caxias do Sul com a geração de 942 vagas. Torres e Vacaria foram as únicas que registraram retração.

Guaporé, seguindo a tendência de recuperação da economia, registrou em setembro 303 admissões e 195 desligamentos, resultado em 108 trabalhadores a mais no mercado de trabalho com carteira assinada. O município, conforme o Obstrab UCS, conta com 7,6 mil empregos formais. O resultado positivo foi influenciado principalmente pela Indústria. O setor criou 103 vagas em 30 dias. Serviços e Comércio também fecharam positivamente. Agropecuária e Construção Civil foram os únicos que desligaram mais trabalhadores do que contrataram. Apesar do resultado positivo do mês, o acumulado do ano e os últimos 12 meses apresentaram destruição de vagas. Houve fechamento de 455 empregos com carteira assinada em 2020. Na contabilidade dos 12 meses, o município registrou 544 empregos encerrados.

“O importante é entender que depois do grande abismo que foram os meses mais afetados pelo distanciamento social (medidas restritivas) como abril, maio e junho, começamos uma linha ascendente. A economia, mesmo ainda sem a vacina para a Covid-19, deve continuar crescendo. Observamos uma volta dos setores industriais e de serviços”, destacou Lodonha.

A expectativa é que o término do ano seja de excelência. “Tradicionalmente ocorre um aumento no número de vagas, principalmente nos setores de comércio e serviços. Muitas temporárias, mas que posteriormente poderão ser integrais. Portanto, acreditamos que ainda vamos ter crescimento significativo no mercado formal”, salientou a coordenadora do Obstrab UCS.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários