Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
19:00:00
A Voz Do Brasil
20:00:00
 
 

CTG Potro Sem Dono de Dois Lajeados dá show em Brasília

por Eduardo Cover Godinho

Tradicionalistas participaram do Festival da Juventude

Noite Cultural do 3º Festival da Juventude Rural, no Parque da Cidade, em Brasília.
Foto: Fetag

O grupo de danças do CTG Potro Sem Dono, de Dois Lajeados, fez o show de abertura da apresentação artística da Noite Cultural do 3º Festival da Juventude Rural, no Parque da Cidade, em Brasília. Formado há pouco mais de dois anos, ele é composto por jovens agricultores e arrancou fortes aplausos do público, que participa do evento.
Representando com raça e orgulho o Rio Grande do Sul, o grupo tem apenas dois anos de existência. Os patrões do CTG, Viviane Giordani Coser e Eduardo Coser, estavam bastante apreensivos antes da apresentação, tamanha era a responsabilidade.

“É a primeira vez que viemos a Brasília e vai ser um marco para nós. Ficamos contentes com a distinção do convite que recebemos da Comissão Estadual de Jovens da Fetag para participar deste evento nacional e por representar a nossa cidade, a nossa cultura e, principalmente, o nosso Estado. E que os outros estados, depois de nossa apresentação, conheçam um pouco mais da dança gaúcha, dos trajes típicos e costumes”, contou Viviane,
O patrão, por sua vez, lembrou que o CTG foi fundado em 1991, mas o grupo de danças da invernada adulta tem dois anos.

“Sem dúvida criar um grupo é um trabalho bem complicado e que exige tempo e dedicação de parte da patronagem e dos integrantes. Foi extinto há quatro anos e reassumimos com o compromisso de reativar as invernadas, por sinal um de nossos sonhos. Montamos a invernada mirim, juvenil e adulta. Com bastante dedicação, todas as quintas-feiras acontecem os ensaios. Essa foi a primeira apresentação fora do RS. Participamos de rodeios – Tiro de Laço – e as apresentações artísticas com danças tradicionais. Então, a nossa gratidão é grande com a Fetag, Contag e STR pelo convite e por acreditar no Potro Sem Dono".
O professor do grupo, Diego Bavaresco, explica que desde o recomeço das atividades um total de 25 danças tradicionais são trabalhadas. Nos últimos dois meses foi dado exclusividade para a apresentação em Brasília, com o grupo de nove pares. Três danças, escolhidas de acordo com a região e o que representa para o Estado: Chote de Quatri Passi, uma dança de origem italiana; Chote de Duas Damas, uma coreografia mista originária de vários pontos da Europa, onde um peão dança com duas prendas e o Tatu de Castanholas, que encerrou apresentação. Essa dança representa o CTG 35, de Porto Alegre, o primeiro CTG fundado no RS e que deu início ao Movimento Tradicionalista Gaúcho. Bavaresco ainda falou que o tema de entrada foi O Canto do Carreteiro e duas danças birivas: Chula e Dança dos Facões.
Depois do Rio Grande do Sul vieram Emboladas do Ceará, Bumba-meu-boi do Maranhão, Xaxado de Alagoas, Danças de Rondônia, Mato Grosso, Minas Gerais, apresentação musical de Goiás e poema do Acre. A primeira noite cultural foi encerrada com o grupo Pau e Lata, acompanhado do Tião Farinhada.

Fonte: Fetag

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários