Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Imigrantes do Haiti pedem ajuda para superar momento de crise

por Eduardo Cover Godinho

São mais de 150 imigrantes que estão em Guaporé, com chegada de mais 30 em 2020

Eles reúnem-se no salão Paroquial para debater a situação de cada um
Foto: Divulgação

A imigração haitiana no Brasil é resultado da instabilidade política e econômica vivida no Haiti. Comumente o país é noticiado por causa de conflitos políticos, crises econômicas e catástrofes naturais. Em 2010, o território haitiano sofreu um intenso abalo sísmico, cujo epicentro estava próximo da capital do país, Porto Príncipe. Esse terremoto devastou o país. A Cruz Vermelha estima que cerca de três milhões de habitantes sofreram com as consequências dessa catástrofe.

Anualmente muitos haitianos deixam suas terras para reconstruir suas vidas e também auxiliar as famílias que ficaram no país. Guaporé foi um dos destinos desses imigrantes. Há seis anos chegam homens e mulheres, inclusive com suas famílias, em busca de trabalho e oportunidades na cidade.

Já são mais de 150 imigrantes que estão no município, com chegada de mais 30 em 2020. A pandemia do coronavírus porém, trouxe muitas dificuldades à essas pessoas que perderam empregos, viram a renda cair e estão passando por muitas dificuldades. “Hoje a situação dos haitianos em Guaporé está bem difícil. Em 2020 nós recebemos mais 30 pessoas. Faço parte de uma igreja e recebo todas as pessoas que chegam. Na minha casa já moramos em 20 pessoas. É nossa tradição acolher. Ninguém fica desamparado. Se eu alugo uma casa, o proprietário já sabe que nos quartos acolherei mais imigrantes. Inclusive fizemos uma campanha para arrecadar recursos para auxiliar pessoas que passavam fome no pico da pandemia. Agora quem pede ajuda somos nós”, diz Mathieu Ribens Dieugrand, que coordena o grupo de haitianos em Guaporé.

São cerca de 15 pessoas desempregadas no momento em busca de renda. E o alto custo de vida somado à pouca renda tem causado problemas sérios. “Muitos foram contratados temporariamente nas empresas e agora com a crise, a instabilidade, foram dispensados e aguardam uma oportunidade. Com a alta do dólar, o dinheiro que mandamos para nossas famílias sobreviverem no Haiti é muito pouco. Estamos com muitas dificuldades para pagar aluguel e comprar comida. Se as pessoas puderem nos ajudar a passar por esse momento difícil, nós agradecemos muito”, diz.

Quem tiver oportunidades de trabalho ou quiser doar alimentos não perecíveis, basta entrar em contato com Mathieu pelo fone (54) 997059812.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários