Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
10:00:00
Gente Nossa
14:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Safra 2021: Cinco mil toneladas de uva serão colhidas em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

São 260 hectares plantados na zona rural. Maior dificuldade, conforme a Emater/Ascar-RS, é a mão de obra

O período da vindima é o mais importante para os produtores rurais, que buscam colher uma safra de qualidade, e, em especial, para aqueles que apreciam um vinho de qualidade ou um delicioso suco. É época da colheita de uva nas regiões vitícolas como a Serra Gaúcha, a principal região vinífera do Brasil com 90% de toda a produção, e a Campanha. São milhares de toneladas que saem dos parreirais e, em caminhões, são transportadas para as agroindústrias familiares e indústrias para seu beneficiamento. Parte é comercializada “in natura”.

Com 260 hectares de área plantada, o município de Guaporé não é um dos maiores produtores de uva da região, porém, os agricultores que investem nos parreirais estão otimistas e deverão colher aproximadamente cinco mil toneladas. São cachos e mais cachos de uva, em especial das variedades Bordô, Clone 30 e Concord, que são destinados à fabricação de sucos. A maior parte é comercializada nas vinícolas de Bento Gonçalves, conhecida como “Capital Nacional do Vinho”.

O maior desafio, conforme o engenheiro Agrônomo da Emater/Ascar-RS – Escritório de Guaporé, Antônio César Perin, é perpetuar a atividade e expandir a área plantada para que os agricultores obtenham mais renda. Conseguir mão de obra qualificada para a colheita é um dos problemas enfrentados.

“É uma atividade muito rentável e eficiente na geração de renda por hectare. São imensos os desafios enfrentados pelos produtores, mas, o retorno é garantido e acredito que todos estão satisfeitos com a produção que irão colher em 2021”, disse Perin.

O engenheiro agrônomo salienta ainda:

“Além de parte da produção ter como destino Bento Gonçalves, temos as vinícolas, Giaretta, Gheller e Scalco que tem vinhedos próprios e adquirem de outros produtores. Muitos agricultores produzem para consumo da família e vizinhos, também produzem vinhos, sucos, geleias e chimia, bem como vendem de forma ‘in natura’ nos estabelecimentos comerciais”.

Perin salientou que nada rende mais do que a fruticultura por hectare produzido. Para que Guaporé continue crescendo, reuniões com os integrantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (COMDERG) deverão acontecer. Na pauta: sugestões para que novos projetos possam contribuir na diversificação das culturas nas propriedades rurais.

“O prefeito Valdir Fabris, no encontro que realizamos em seu gabinete, mostrou-se solícito reivindicação de uma legislação específica para incentivar cada vez mais os produtores na diversificação das suas atividades no campo, em especial para a fruticultura”, destacou Perin.

Fabris, que tem sólidas raízes na área rural, afirmou:”

“O setor rural sempre terá apoio do Governo Municipal. É um dos pilares mais fortes da economia de Guaporé. Assim como ocorreu nos quatro primeiros anos da gestão, é nossa prioridade estar ao lado do homem do campo”.

O secretário da Agricultura, produtor rural Edelvan Balbinotti, também é entusiasta da diversificação e da importância do setor para o Município, bem como o vice-prefeito Adalberto Bastian que visitou propriedade para acompanhar o período da vindima que estende-se até o final do mês de março.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários