Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Com gestão, propriedade leiteira de Serafina Corrêa eleva produtividade e lucro

por Eduardo Cover Godinho

800 agricultores de 25 municípios participaram do Dia de Campo

Foto: Divulgação

A propriedade da família Silvetrin, que se dedica à produção de leite na Capela São Pedro, em Serafina Corrêa, recebeu nesta quinta-feira, dia 9 de novembro, 800 agricultores de 25 municípios, em um grande Dia de Campo sobre Gestão da Propriedade Leiteira. No local, o público pode conhecer os resultados obtidos na atividade após o diagnóstico e a intervenção da Emater/RS-Ascar, através do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, uma política pública do Governo do Estado.

Na propriedade de 12,5 hectares, que é uma Unidade de Referência do programa, os agricultores Claudir e Zelma Silvestrin, a filha Ana Lice e o genro Leonel possuem 13 vacas em lactação e cultivam pastagens e milho para silagem. Com uma produtividade média de 15l/vaca/dia no ano safra (jul 16/jun 17) e um custo de produção por litro de R$ 1,11, tinha mês que a família pagava para trabalhar. A partir do planejamento e orientação da Extensão Rural e Social no período de junho a outubro deste ano, que incluiu o manejo do solo e das pastagens, a adequação da dieta alimentar e o controle dos custos e da qualidade do produto, a família conseguiu aumentar a produtividade em 60%, que hoje está em 24 litros/vaca/dia, e reduzir o custo de produção para R$ 0,80 o litro, aumentando a renda agrícola mensal da família em 325%, viabilizando a atividade neste momento em que o preço do produto está em baixa.

Através do Programa de Gestão, que trabalha a propriedade como um todo, foram realizadas ainda ações na área social, voltadas para o embelezamento da propriedade, a produção para o autoconsumo e o aproveitamento dos alimentos, e na área ambiental, como a limpeza e organização dos arredores, a recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e o sombreamento dos piquetes. 

“A melhoria foi espantosa. A gente precisava de uma ideia, de alguma coisa que ajudasse, e daí surgiu esse projeto, que a gente aproveitou e está vendo que dá resultado. Estamos felizes com tudo que está acontecendo”, afirmou a produtora Ana Lice Silvestrin Martins. 

Durante todo o dia, extensionistas da Emater/RS-Ascar mostraram como os produtores podem ter eficiência produtiva e menor custo de produção. Em quatro estações, eles explicaram os cuidados simples que o produtor tenha animais sadios e um produto de qualidade, evitando perdas na produção, que incluem desde medidas de higiene e limpeza até o melhoramento genético dos animais. Destacaram também o trabalho feito para descompactar o solo e melhorar a fertilidade, equilibrando os nutrientes para o desenvolvimento das forrageiras, bem como o ajuste feito na alimentação dos animais, que era baseada em ração e passou a ter como base o pasto, maximizando a produção de volumosos e utilizando ração para alcançar o potencial produtivo, com maior margem de lucro. 

O Dia de Campo foi acompanhado pelo presidente da Emater/RS, Clair Kuhn, pela diretora administrativa Silvana Dalmás, pelo secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Tarcísio Minetto, que esteve representando o governador José Ivo Sartori, e pela prefeita de Serafina Corrêa, Maria Amélia Gheller, além de representantes das entidades parceiras.

O secretário Minetto destacou que é preciso buscar alternativas e caminhos para enfrentar os desafios do setor leiteiro. “Com certeza, nesse dia de campo nós estamos caminhando para isso, buscando melhorar a produtividade, a renda e as condições de vida como um todo”, ressaltou. Ele lembrou também que a SDR está fazendo uma Chamada Pública para as cooperativas, na ordem de R$ 2 milhões, para a aquisição de leite em pó e fluído. 

O presidente da Emater/RS enfatizou a importância da agricultura familiar para o Estado, bem como da assistência técnica gratuita, orientação e tecnologia levada pela Instituição para que as famílias possam se manter na atividade, reduzindo custos, melhorando a renda e possibilitando a sucessão rural. 
“A Emater tem preocupação quanto ao futuro da atividade leiteira e a permanência dos jovens na atividade, que é penosa, requer empenho e está passando por percalços na questão de mercado e preço, o que às vezes desestimula os produtores. A Emater, junto com outras entidades, tem trabalhado bastante na valorização, defesa e construção de políticas públicas e programas para que a atividade possa perdurar por muitos e muitos anos e dar uma renda digna para as famílias que com ela atuam. E a propriedade da família Silvestrin demonstra que é possível trabalhar de forma organizada, planejada, obtendo melhores resultados”, salientou a diretora Silvana.

O almoço para os participantes aconteceu no salão da Capela Saúde, onde também houve exposição de máquinas, equipamentos e insumos e a participação de instituições como a Apae do município, que realizou a entrega ao secretário Minetto de um artesanato elaborado em oficina com a Emater/RS-Ascar. O Dia de Campo foi realizado pela SDR, Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Serafina Corrêa, com o apoio de diversas instituições de ensino, pesquisa, banco, cooperativas, sindicato e empresas. 

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários